Codam analisa pauta recorde de R$ 4,5 bilhões

O Codam avalia hoje, em sua 286ª reunião, uma pauta recorde de R$ 4,569 bilhões em investimentos para o PIM, equivalente a 80,09% de todo o aporte registrado nas reuniões do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas ao longo de 2019 (R$ 5,705 bilhões). A pauta inclui 40 projetos – 22 de bens finais e 18 de intermediários –, com expectativa de gerar 1.239 postos de trabalho nos próximos três anos.

O grande destaque vem da Samsung que responde por 61,18% da injeção de capital prevista na pauta (R$ 2,795 bilhões) para produzir fones de vídeo com sistemas inteligentes de áudio e televisores com tela de cristal. Em seguida, vêm a Coimpa, com 27,32% do total (R$ 1,248 bilhão) e a Tectoy (roteador digital, terminal de ponto de venda, impressora térmica), com fatia de 5,04% (R$ 230,46 milhões). Há também 11 projetos de implantação, incluindo iniciativas nos polos naval, de brinquedos, termoplásticos, eletroeletrônicos e de material de construção. 

Até então, a pauta com maior volume de investimentos tinha sido registrada em 2016, na 263ª reunião do Conselho, realizada em 1º de setembro daquele ano, com um total de recursos de R$ 3,213 bilhões. O Codam já acumula R$ 6,7 bilhões em investimentos aprovados para o Amazonas.

Indústria 4.0.

No entendimento do titular da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação), Jório Veiga, a atuação do governo estadual para garantir que fossem mantidos os investimentos, mesmo no período mais agudo da crise da covid-19 pode explicar os números significativos da pauta a ser apreciada pelo Codam, nesta quarta (26). 

“Nada deixou de ser encaminhado ou realizado nesse período difícil, no sentido de garantir que o setor produtivo pudesse minimizar os impactos desta crise, dentro do que nos fosse permitido por lei. As reuniões não foram interrompidas. A de abril, de fato, não houve, mas todos os projetos apresentados e que passaram nas análises foram aprovados as referendum. A de junho foi realizada de forma virtual. Não houve nenhum represamento”, afiançou.

O secretário estadual avalia que, embora a pauta siga produtos do portfólio mais convencional do PIM, inclui também novas empresas de e-mobility (dispositivos de deslocamento elétricos), além de casos pontuais de diversificação. Além do destaque da Samsung, também se sobressaem projetos para fabricação de rebocadores e balsas, assim como iniciativas para industrialização de carnes – que ajudam a alavancar o setor agropecuário e a interiorização do desenvolvimento do Estado. Jório Veiga também não vê impactos da crise da covid-19 nas intenções de investir no Amazonas e na Zona Franca.

“Não creio, pois são projetos de médio prazo, de até três anos. Algo a considerar sobre a pauta é que, embora essa seja a reunião com o segundo valor mais alto de investimentos, o número de empregos gerado não é proporcionalmente tão alto. São apenas 1.239 postos de trabalho, o que confirma a tendência de automação e aderência às tecnologias da industria 4.0.”, assinalou.

Atração de investimentos

O presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Antonio Silva, considera que o saldo das reuniões do Codam é positivo, a despeito do momento vivido pelo PIM. Para o dirigente, os números da reunião de hoje, em meio a uma crise que chegou a praticamente paralisar as atividades fabris no segundo trimestre do ano, demonstram que o modelo ZFM ainda é um porto seguro para as empresas que desejam investir. “São 11 projetos de implantação. Em outras palavras, 11 novos empreendimentos que não possuíam qualquer atividade no parque fabril local e demonstraram interesse em se instalarem no PIM”, comemorou. 

Indagado sobre a atratividade do Polo em meio à crise da covid-19 e se esta depende de outros fatores, o dirigente salientou que, no que se refere aos PPBs, suas publicações estão com “regularidade contumaz, o que não se observava há algum tempo”. Antonio Silva lembra que, só nos últimos dois meses, foram promulgadas diversas portarias com fixação e alteração de Processos Produtivos Básicos, mas pondera que nem todos são benéficos para o PIM e, portanto, merecem “especial atenção” das entidades.

“É importante dizer que vínhamos de uma crise econômica, e, no momento em que tínhamos indicadores de uma substancial retomada do crescimento, fomos acometidos por outra grave crise, essa de cunho sanitário. Mesmo assim, acredito que a ZFM se apresenta como uma excelente alternativa para novos investimentos, seja por parte de multinacionais ou empresas locais. Estamos buscando também diversificar nossas matrizes, objetivando segmentos complementares ao PIM e que sirvam para solidificar o modelo. Temos capacidade e capital para congregar o que há de mais moderno no mercado, aliado à diversificação com enfoque nos produtos de base florestal”, arrematou.

A 286ª reunião do Codam está marcada para as 10h desta quarta (26), na sede da Fieam. Para garantir a segurança sanitária em tempos de pandemia, será uma reunião híbrida e apenas os conselheiros e técnicos do governo do Estado estarão presentes. A transmissão se dará ao vivo para todos os interessados, por meio do canal da Sedecti no Youtube, e do Facebook do Governo do Amazonas (https://www.facebook.com/GovernodoAmazonas/).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email