Coca-Cola busca fortalecer a agricultura

A Coca-Cola Brasil lançou nesta terça-feira (31), em Presidente Figueiredo, a 107 km de Manaus, na BR 174, o programa Olhos da Floresta. Em parceria com a ONG Imaflora, o projeto vai incentivar a agricultura familiar e a cadeia do guaraná no Amazonas, trazendo oportunidades de inclusão social, geração de renda e uso racional dos recursos naturais. Entre as iniciativas, o programa dará aos agricultores familiares apoio técnico para adotar os SAFs (Sistemas Agroflorestais), modelo alternativo de produção que combina culturas agrícolas e espécies florestais em um mesmo espaço, o que transforma áreas degradadas em férteis.
O guaraná do Amazonas também será certificado, com a adoção de controle e rastreabilidade ao longo de toda a cadeia, do plantio até o produto final. Inicialmente atingindo 30 famílias, até 2020, serão beneficiadas 350, todas produzindo guaraná comprado pela Coca-Cola Brasil.
“O projeto respeita a cultura do Estado de não destruir a floresta, por isso queremos juntar o que de melhor os agricultores produzem, além de aproveitar os seus olhos como protetores da floresta”, falou Pedro Massa, diretor de Sustentabilidade de Coca-Cola. “O projeto, que começa em Presidente Figueiredo, também atingirá outros municípios”, completou.
O programa Olhos da Floresta é mais uma ação que consolida o comprometimento da Coca-Cola Brasil com a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico na região. Estiveram no evento cerca de 150 agricultores de diferentes comunidades, além de autoridades do Amazonas. “O projeto começa em Presidente Figueiredo, mas tem potencial para transformar todo o Amazonas”, adiantou Neilson Cavalcante, prefeito de Presidente Figueiredo. Para a superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, a “Coca-Cola, ao abraçar a importância da matéria-prima regional, gera emprego e renda não só na indústria como também no campo”. Eduardo Trevisan, da Imaflora, explicou que a ONG atua em todo o país, agora em parceria com a Coca-Cola, há alguns meses, “e que o agronegócio é o alicerce do Olhos da Floresta”. Eduardo Camilo, diretor presidente da Jayoro, comemorou o fato de os pés de guaraná do Amazonas estarem produzindo 740g de sementes por árvore.
“Quando começamos nossos trabalhos cada pé produzia em média 300g. Com o apoio da Embrapa vamos voltar a ser os maiores produtores de guaraná do país e chegar, em breve a quase 900g”, assegurou.
Um dos agricultores presentes ao evento, o maranhense João Neves, 71, desde 1998 planta laranja, macaxeira, açaí, banana e muricí num terreno no km 180 da BR 174. Convidado pelos técnicos da Coca-Cola a participar do projeto, ele veio ao evento, observar.
“Já participei de outros projetos voltados para a agricultura, mas nunca deram muito certo, agora com a Coca-Cola, a Jayoro e a Embrapa envolvidos, acho que vai dar certo”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email