Pesquisar
Close this search box.

Coca-Cola Brasil investe na cadeia do fruto amazônico

Desde junho de 2016, o programa Olhos da Floresta, da Coca-Cola Brasil em parceria com o Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora), incentiva a agricultura familiar e a cadeia do guaraná no Amazonas, trazendo oportunidades de inclusão social, geração de renda e uso racional dos recursos naturais. Nos últimos anos, a Coca-Cola Brasil tem ampliado a atuação na região com o aumento no número de municípios e famílias impactadas – neste ano, o Olhos da Floresta encerrou a safra de guaraná 2022 atendendo 18 municípios. Os investimentos da empresa no programa já somam R$15 milhões.

Para a  empresa, o guaraná é matéria-prima regional essencial para o negócio da companhia e o fomento ao cultivo do fruto impacta uma cadeia direta de geração de emprego e renda para mais de 350 famílias dos municípios de Apuí, Autazes, Borba, Canutama, Humaitá, Iranduba, Itapiranga, Manaus, Manacapuru, Maués, Nova Olinda do Norte, Novo Airão, Novo Aripuanã, Parintins, Presidente Figueiredo, Silves, São Sebastião do Uatumã e Urucará, como destaca o diretor de Relações Governamentais, Victor Bicca.

“Com foco na sustentabilidade e no desenvolvimento econômico sustentável da região, a Coca-Cola Brasil, por meio do Olhos da Floresta, tem impactado e empoderado famílias de produtores de guaraná em quase 90% do território produtor do fruto. Esses investimentos consolidam o compromisso da empresa com a sustentabilidade e o desenvolvimento do Amazonas”, reforça.

Além de garantir a compra do fruto, a companhia investe em uma cadeia de assistência técnica para as famílias produtoras do fruto que incentiva as boas práticas agrícolas; o fortalecimento das organizações sociais, associações e cooperativas, que dão suporte na compra e venda para os produtores; o estímulo à preservação da biodiversidade; a atuação para o desenvolvimento de uma cadeia de preço justo e transparente; e a rastreabilidade do fruto.

A implementação do sistema de rastreabilidade dentro do Olhos da Floresta para a cadeia de fornecimento de guaraná proveniente do Estado do Amazonas é operada pelo Imaflora. “Nós desenvolvemos uma metodologia que permite a Coca-Cola rastrear todo o guaraná proveniente da agricultura familiar do Amazonas consumido pela empresa. Este trabalho traz maior transparência com relação à origem do produto e beneficia as famílias atendidas pelo programa”, afirma Eduardo Trevisan, Gerente de Cadeias Agropecuárias do Imaflora.

A partir desse sistema, é possível identificar os produtores que cultivam guaraná, os volumes produzidos de semente torradas, bem como o controle dos embarques realizados em cada município fornecedor, evitando riscos de que exista adição de guaraná proveniente de outras regiões do Brasil.

É por isso, segundo Victor Bicca, que todo o guaraná utilizado nas bebidas do Sistema Coca-Cola Brasil vem do programa Olhos da Floresta. “Com a rastreabilidade aferida pelo Imaflora, 100% do guaraná utilizado nas bebidas à base do fruto – Fanta Guaraná, Guaraná Kuat, Tuchaua – são provenientes do Amazonas”, destaca Bicca.

Sobre a Coca-Cola Brasil   

O Sistema Coca-Cola Brasil atua em cinco grupos de bebidas — colas, sabores, hidratação, nutrição e emergentes — com uma linha de 260 produtos, entre sabores regulares e versões sem açúcar ou de baixa caloria. Composto por nove grupos de fabricantes franqueados, o Instituto Coca-Cola Brasil, mais Verde Campo e a parceria com Leão Alimentos e Bebidas, o Sistema emprega diretamente 56,6 mil funcionários. A empresa aposta em inovação para ampliar seu portfólio e atingir o objetivo de destinar corretamente o equivalente a 100% de suas embalagens até 2030. A Coca-Cola Brasil trabalha para oferecer cada vez mais opções com menos açúcar adicionado e no incentivo a iniciativas que melhorem o desenvolvimento econômico e social das comunidades onde atua.  

Sobre o Imaflora

O Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola – Imaflora – é uma associação civil sem fins lucrativos, criada em 1995, que nasceu sob a premissa de que a melhor forma de conservar as florestas tropicais é dar a elas uma destinação econômica, associada a boas práticas de manejo e a uma gestão responsável dos recursos naturais. O Imaflora acredita que a certificação socioambiental é uma das ferramentas que respondem a parte desse desafio, com forte poder indutor do desenvolvimento local, sustentável, nos setores florestal e agrícola. Dessa maneira, o Instituto busca influenciar as cadeias produtivas dos produtos de origem florestal e agrícola; colaborar para a elaboração e implementação de políticas de interesse público e, finalmente, fazer, de fato, a diferença nas regiões em que atua, criando ali modelos de uso da terra e de desenvolvimento sustentável que possam ser reproduzidos em outros municípios, regiões ou biomas do País.

Redação

Jornal mais tradicional do Estado do Amazonas, em atividade desde 1904 de forma contínua.
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar