CNI percebe retomada no crescimento da indústria nacional

O faturamento da indústria de transformação brasileira cresceu 10,5% em junho ante igual mês do ano passado.
No mesmo período, as horas trabalhadas na produção avançaram 6,6%, a remuneração paga aos trabalhadores aumentou 5,2% e o emprego, 4%.
As informações são da pesquisa Indicadores Industriais de junho, divulgada hoje pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) simultaneamente em Florianópolis e em Brasília.
Na comparação com maio deste ano, o faturamento real subiu 2%, na série com ajustes sazonais. Na mesma comparação, as horas trabalhadas cresceram 1,5% e o emprego, 0,5%.
A utilização da capacidade instalada atingiu 83,3% em junho, acima dos 82,2% registrados no mesmo mês de 2007. Esse é o maior nível de utilização da capacidade instalada desde o início da série, em janeiro de 2003.
De acordo com o gerente-executivo da Unidade de Avaliação, Pesquisa e Desenvolvimento da CNI, Renato da Fonseca, apesar do avanço registrado em junho, o indicador de utilização da capacidade instalada se mantém estável ao longo dos últimos meses. “O gráfico mostra uma alta em relação a maio, que tinha sido mais baixo, e uma estabilidade em relação aos últimos meses. A utilização da capacidade instalada tem uma linha estável no gráfico enquanto as demais variáveis, como emprego e faturamento, possuem linhas ascendentes, de clara alta”, afirma Fonseca.

Aumento no faturamento

O faturamento real aumentou em 16 dos 19 setores pesquisados pela CNI. No acumulado do primeiro semestre, o faturamento aumentou em 17 setores.
As atividades que se destacaram de janeiro a junho foram veículos automotores (24,4%), material eletrônico e de comunicação (23%) e outros equipamentos de transporte (20,1%). Na variável das horas trabalhadas na produção, o ano de 2008 é o melhor desde 2003, quando se iniciou a nova série histórica (depois da atualização da metodologia). Quinze dos 19 setores pesquisados registraram crescimento das horas trabalhadas na produção na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em seis desses setores o ritmo de alta é acima de dois dígitos. O emprego industrial se expande há 31 meses. “A regularidade também se aplica ao ritmo de crescimento, que se mantém em torno de 4% há um ano”, diz a pesquisa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email