27 de junho de 2022

Claudio Santoro – o grande exportador de talentos

Com 24 anos de atuação, o Liceu de Artes Claudio Santoro já descobriu talentos, lançou profissionais de sucesso para o mercado e já capacitou quase 500 mil pessoas e se reinventou para elevar ainda mais sua relevância. Hoje, a instituição ligada à Secretaria Estadual da Cultura e Economia Criativa (SEC) utiliza de canais digitais para aumentar sua capilaridade e atingir de forma satisfatória os municípios do interior. O programa Trends JC, podcast e websérie do Jornal do Commercio, conversou com o Maestro Davi Nunes, Diretor do liceu e ele garantiu: “cada município tem sua característica única e queremos potencializar”

Além das 4 unidades de Manaus, os municípios de Parintins e Envira contam com unidades físicas do Liceu, que atende ainda a muitas outras localidades com o Liceu Digital. “Nós entendemos a sensibilidade das pessoas quererem arte, quererem aprender um movimento de dança, tocar um instrumento, pintar, ser ator ou atriz. Então, queremos atender a estes chamados”, disse o Maestro.

Essa transformação digital acelerou no Liceu com a pandemia. O Maestro conta que as atividades do órgão também foram impactadas com o distanciamento social, mas professores, corpo técnico e alunos não deixaram de se reunir, mesmo que via internet, para não deixar o trabalho se esvair. “Nossos alunos e nossas classes não foram abandonadas. Nosso corpo técnico foi trabalhando incessantemente para encontrar formas de se conectar com os alunos e deu certo. Hoje, entendemos que essa forma deve se somar às nossas ferramentas didáticas”.

O novo Liceu

 Para o futuro, a proposta do Liceu para atingir os outros municípios é se apoiar na criação das Salas de Cultura, que darão mais amplitude ao alcance do Liceu Digital no interior. São kits estruturais oferecidos aos municípios com equipamentos como violões, flautas, teclados, materiais para artes visuais, lápis, tinta, papéis; materiais para dança, teatro, projetores, televisores e etc. “As Salas darão a estrutura e o Liceu fará a capacitação técnica utilizando estes espaços e os instrumentos, equipamentos e tudo o mais que a parceria viabilize”, disse Nunes.

O maestro Davi Nunes ainda explicou que a proposta do Governo do Amazonas é utilizar a capacitação técnica como mola propulsora do desenvolvimento cultural em toda a região. Segundo ele, apenas as festas no interior do Amazonas, não sustentam a cadeia produtiva da cultura. “Entendemos que, a despeito de toda importância social, econômica e cultural das festas, esses eventos não deixam muito para a comunidade. Descobrir, capacitar e exportar talentos é também muito importante para nós”, lembrou.

Davi Nunes, que é violonista maestro e atua há 22 anos no corpo técnico do Liceu de Artes, ainda lembrou nomes de artistas ‘descobertos’ e ‘exportados’ pelo Liceu nos últimos anos. Ele citou Davi Lucas, musicista de 12 anos que participou da versão kids’ do The Voice, da Rede Globo. “Somos um exportador de talentos. Temos muitos nomes que despontaram após passarem pelos palcos do Liceu”.

Hoje, o Liceu possui atividades, cursos e eventos voltados para todo tipo de público, desde bebês até o público da melhor idade. O Maestro ainda aproveitou a entrevista para lembrar que todo mundo é bem-vindo nos quadros do Liceu, basta procurar uma unidade ou tirar dúvidas por meio dos canais digitais.

Certificação

O Liceu hoje é um caçador de talentos e um exportador de talentos. Mas, a partir deste ano será ainda um formador de talentos, oficialmente. O órgão está em processo de ajustes variados para ser um certificador técnico. “Nosso curso já tem esse viés técnico, mas agora estamos formalizando. É um trabalho um pouco lento, mas até o final deste ano a gente estará com o processo do curso técnico pronto”.

Outra proposta é atuar em parceria com os consulados, para que os artistas e estudantes tenham contato com outras culturas e possibilidades fora do País. Afinal, um exportador faz assim, não é mesmo?

Davi Nunes está há 22 anos fazendo parte do corpo técnico do Liceu Claudio Santoro

O Liceu de Artes Claudio Santoro é um sopro de vida na nossa cena cultural e caminha para se tornar onipresente no Amazonas. Ficou curioso? então, saiba mais na entrevista completa do programa Trends JC, que você acessa pelas redes sociais do Jornal do Commercio, ou no portal JCAM (www.jcam.com.br). Corre lá, já está disponível. Até o próximo bate-papo.

Lilian D’Araujo

@lydcorr

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email