25 de junho de 2022

Cirandas de Manacapuru recebem aporte de R$ 1,1 milhão

O repasse do governo é de R$ 340 mil para cada uma das três cirandas, enquanto a contrapartida da prefeitura de Manacapuru chega a R$ 36 mil por agremiação

A 12ª edição do Festival de Cirandas de Manacapuru terá este ano investimento de R$ 1,128 milhão do governo estadual e da prefeitura daquele município.
A festa, que acontecerá no período de 29 a 31 de agosto, deve receber em torno de 50 mil visitantes oriundos principalmente de Manaus e de municípios vizinhos. De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo, é o segundo evento de destaque no interior do Amazonas, após a disputa dos bois de Parintins.
Para este ano, o repasse do governo será de R$ 340 mil para cada uma das três cirandas – Flor Matizada, Tradicional e Guerreiros Mura -, enquanto a contrapartida da prefeitura local chega a R$ 36 mil por agremiação, em parcelas mensais de R$ 3.000.
Esse valor é destinado principalmente à manutenção dos galpões de cada agremiação.
“A festa evoluiu muito. Com a montagem dos galpões surgiu uma estrutura que trouxe profissionalismo para a festa, já que cada grupo ganhou espaço para confecção de suas alegorias e captação de recursos”, avaliou o secretário de turismo de Manacapuru, Daniel Guedes. “As cirandas precisam ainda se envolver mais com a comunidade, por meio de treinamentos e cursos para atividades que venham gerar renda”, acrescentou. Inaugurados em 2005 pelo governo estadual, os galpões estão localizados nos bairros Liberdade (Guerreiros Mura), Terra Preta (Tradicional) e Centro (Flor Matizada).
Os efeitos da evolução do festival repercutiram diretamente no setor turístico. Um exemplo é que, com a inauguração do Cirandódromo em 1997, o município passou a ter uma infra-estrutura capaz de atender a demanda. “Hoje temos 42 hotéis, pensões e similares, totalizando mais de 4.000 acomodações. No Centro de Atendimento ao Turista, já foi iniciado o cadastramento de moradores de Manacapuru que queiram alugar imóveis por ocasião da festa, excepcionalmente”, informou Daniel Guedes.

Vagas dos hotéis estão quase todas reservadas

Com fornecimento de alimentação, além das acomodações, a iniciativa é similar ao programa Cama e Café da Manhã, de Parintins. Segundo o secretário de Turismo, a pouco menos de um mês do evento, a maior parte das vagas na rede hoteleira já está reservada.
O vice-presidente da ciranda Guerreiros Mura, Lurden Clay Monteiro, disse que a agremiação iniciou a construção das alegorias, envolvendo artistas daquele município, de Manaus e de Parintins. O processo de criação envolve aproximadamente 120 pessoas, incluídas aí costureiras e coreógrafos, entre outros. “Os ensaios estão em andamento desde janeiro, as indumentárias chegaram à fase de acabamento e na reta final da confecção das fantasias”, informou Clay.
O orçamento da Guerreiros Mura para a festa da ciranda chega a R$ 500 mil, e a agremiação aguarda a liberação da segunda parcela da verba do governo estadual, sinalizada para os próximos dias. Enquanto isso, a realização de eventos e a colaboração do setor privado têm possibilitado a captação de recursos. Só com a transmissão do festival, de responsabilidade da empresa Amazonas Cabo (canal Amazon Sat), cada ciranda recebe em torno de R$ 30 mil.
No galpão da ciranda Flor Matizada, os trabalhos estão a todo vapor, envolvendo 168 pessoas. O orçamento previsto é de aproximadamente R$ 500 mil. Segundo o presidente do conselho administrativo da agremiação, Alexandre Queiroz, o governo estadual já repassou 50% dos valores acertados. “Com eventos para captação de recursos, chegamos até o momento a aproximadamente R$ 20 mil”, informou.
Do material em fase de produção, cerca de 70% das roupas estão prontas, enquanto as alegorias começaram a ganhar formas e até mesmo o CD com as músicas da ciranda foi finalizado. “Também estamos vendendo a camisa da ciranda, apresentada em três modelos”, disse Alexandre.
A reportagem tentou contato com os dirigentes da ciranda Tradicional, sem sucesso.
De acordo com a assessoria de comunicação da SEC (Secretaria de Estado da Cultura), a segunda parcela do aporte para a festa já foi liberada para as agremiações.
“Nas últimas edições, a festa foi um sucesso total, e esperamos repetir este ano”, comemorou o prefeito de Manacapuru, Washington Régis.
No ano passado, a ciranda reuniu cerca de 40 mil visitantes, segundo cálculos da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros na época. “Há muita circulação de dinheiro na cidade, mas não há cobrança de nada, pois a intenção é gerar emprego e renda”, concluiu Régis.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email