Cidade puxa crescimento das vendas de motos no país

A cidade de Manaus registrou um incremento de 523% no número de motocicletas circulantes entre 2000 e 2011, segundo dados da Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares). Sede de mais de 98% de todas as fábricas produtoras de motocicletas instaladas no país, a capital amazonense puxou o crescimento das vendas na região Norte, que registra maior avanço dentre todas as outras regiões do país, com expansão de 519% no mesmo período, enquanto a frota circulante de motocicletas no país cresceu 332% nos últimos dez anos.
“A elevação expressiva da frota manauense mostra o quanto a região é importante para o crescimento do setor. Apesar do avanço, ainda temos muito espaço para expandir nesse mercado, já que as motocicletas se enquadram perfeitamente nas necessidades da população local”, explica o presidente da Abraciclo, Roberto Yoshio Akiyama.
O setor de duas rodas representa 22% da participação dos subsetores de atividades no faturamento do PIM (Pólo Industrial de Manaus), ficando atrás apenas do de eletroeletrônicos, com 33%.
De 2006 para 2010, houve uma elevação de 43% na mão de obra utilizada pelas fabricantes do setor duas rodas na região, passando de 13 mil para 18 mil funcionários. Para 2011, a previsão é de um avanço de 13% nesse total, com a contratação de aproximadamente dois mil novos funcionários.
Essa expansão é reflexo dos investimentos do setor na região, que não param de crescer: de 2006 para 2011, o PIM recebeu sete novas fábricas de motocicletas, e a previsão é de que mais três indústrias se instalem em Manaus ainda em 2012. “O Pólo Industrial de Manaus é referência quando falamos do setor, tanto em âmbito nacional quanto internacional. A procura pelo Brasil está cada vez mais forte e a nossa produção é reconhecida internacionalmente. Exportamos para mais de 60 países e estamos apenas no começo. O segmento ainda tem muito a crescer”, conclui Akiyama.

Pólo mundial de bicicletas

A produção nacional de bicicletas vem registrando quedas consecutivas nos últimos quatro anos, passando de uma média de 5,3 milhões de unidades, em 2007, para 4,5 milhões em 2011– queda de 8% sobre 2010.
A Abraciclo atuou fortemente junto ao governo federal para fortalecer a produção nacional do veículo, e como resultado o imposto sobre importação do produto passou de 20 para 35%, além de outras medidas terem sido adotadas nacionalmente, como a exigência de certificação compulsória dos componentes e um maior rigor na fiscalização dos portos.
“Essas medidas auxiliam no aumento da competitividade nacional e fortalecem a produção de bicicletas no PIM, já que inibem as fabricações irregulares. Nós temos como meta primária transformar Manaus em um dos maiores polos de produção de bicicletas do mundo, atuando tanto no mercado interno como externo”, conta Akiyama.
A atuação já rendeu resultados. Apesar da baixa na produção nacional, a fabricação de bicicletas no PIM cresceu expressivos 63% no último ano, passando de 617 mil unidades, em 2010, para mais de um milhão em 2011.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email