Cia Athletica concorre prêmio nacional

Cia Wake, projeto criado em Manaus, concorre ao Prêmio Inovação Cia Athletica, concedido nacionalmente, e pode servir de inspiração para as demais unidades da rede de academias no país.

Cia Wake, projeto criado em Manaus, concorre ao Prêmio Inovação Cia Athletica, concedido nacionalmente, e pode servir de inspiração para as demais unidades da rede de academias no país. O Cia Wake possibilita o aprendizado de wakeboard, na própria academia, a partir de exercícios simulados, e posteriormente a prática no rio, que acontece às quartas-feiras e sábados, com saída às 14h da Marina Tauá. O projeto é pioneiro no Brasil, em desenvolver um treinamento específico para o wakeboard.
O Cia Wake foi escolhido entre mais de 50 projetos, para concorrer ao Prêmio Inovação Cia Athletica. O evento é parte do Encontro de Gestores 2010, marcado para o período de 18 a 22 de abril, no Hotel Jequitimar, em São Paulo. Para apresentar o projeto, em nome da Cia Athletica Manaus, estarão a assessora de Marketing da academia, Alessandra Fernandes e a idealizadora do projeto, Lilian Daniel, além da gerente do Programa de Resultados, Patrícia de Jesus.
Elaborado por uma equipe de pesquisa multidisciplinar, constituída por professores de Educação Física, fisioterapeutas, nutricionista, avaliadores físicos e atletas, o Cia Wake conta com aulas práticas realizadas ao ar livre, em meio à natureza. “A academia prepara tanto o atleta profissional, quanto o aluno iniciante, para executar o esporte de maneira personalizada”, afirma Patrícia de Jesus.
Na prática, os interessados passam por uma avaliação física detalhada antes de iniciar no Cia Wake. A partir desta avaliação, a academia faz um planejamento de atividades personalizado, por meio do Programa de Resultados, que orienta o atleta para a melhor performance e com objetivos direcionados para o desenvolvimento das capacidades físicas do aluno. “Nas atividades aplica-se o treinamento funcional. Nele, os exercícios de musculação, por exemplo, são totalmente voltados para a melhoria da resistência muscular localizada”, diz. O aluno é encaminhado, ainda, para outros departamentos parceiros do projeto, como nutricionista, fisioterapeuta e o médico da academia.
“São, no mínimo, 36 sessões por etapa e três fichas com três subníveis cada, o que possibilita ao aluno um perfeito desenvolvimento motor e físico através dos movimentos do wakeboard. São utilizados exercícios que estimulam o equilíbrio, a consciência corporal e a prevenção de lesões em superfícies instáveis”, explica Patrícia.
Durante o treinamento funcional, o uso da cama elástica é outra forma de aprimorar a performance do aluno no wakeboard. “Este exercício é fundamental para que o interessado em praticar o wake comece a perceber o comportamento do próprio corpo com as oscilações do rio. É a forma que ele tem para aprender ou aprimorar as manobras, como cambalhotas, impulsão e saltos, por exemplo. Isso implica em um maior consciência corporal na prática”, enfatiza.
As aulas práticas podem durar 30 ou 60 minutos, conforme escolha do praticante. Os equipamentos utilizados são os melhores no mercado, incluindo lancha específica para o esporte, pranchas e botas. O Cia Wake, portanto, permite ao praticante a quebra da rotina através de um esporte radical em meio à natureza, além de aumentar a extensão e o limite das habilidades do aluno.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email