14 de agosto de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Chuvas castigam Amazonas e já sinalizam grande enchente

As chuvas torrenciais sinalizam uma grande enchente este ano, algo descartado não faz muito tempo pelas expertises do setor no Amazonas. Chove todos os dias, causando transtornos e estragos, principalmente na periferia de Manaus.

Na realidade, a subida das águas continua avançando, aproximando-se do recorde registrado em 2021, que ultrapassou os 30 centímetros, o maior nível dos últimos 100 anos. A prefeitura e o governo do Estado garantem já estar em execução um plano de contingência reunindo todas as secretarias para prevenir as situações de emergência no ano passado, período em que parte do centro de Manaus foi inundada pelas águas.

Itinerários de ônibus foram alterados. A população teve que se deslocar em canoas, voadeiras e outras embarcações para ter acesso ao porto, uma condição que gerou um cenário veneziano.

A principal feira ambulante da capital foi deslocada. Passou a funcionar num flutuante, lembrando de situações do passado. Em outras épocas, havia um intenso comércio que flutuava sob as águas do rio Negro, por onde circulava todo tipo de negócio, algo que até hoje é lembrado com muito saudosismo por pessoas que testemunharam de perto esse momento histórico, tão nativista e encantador.

Os flutuantes que vendiam todo tipo de mercadorias serviram de grandes temas para a produção literária no Amazonas. E também para documentários em vídeos e produções cinematográficas.

Com o advento da Zona Franca de Manaus, os antigos flutuantes deram lugar a outras obras, que transformaram o visual daquilo que por muito tempo serviu de lazer para clientes em frequentes rodadas de conversas sobre os mais diversos assuntos amazônicos.  Os turistas também se deleitavam com o visual da cidade encravada no meio da selva amazônica.

No interior, a enchente do ano passado também foi impactante. As cidades ribeirinhas improvisaram pontes e construíram marombas para enfrentar as dificuldades. A cheia transporta todo tipo de doenças. Suas águas infectadas são uma constante ameaça à saúde dos ribeirinhos, o que obrigou o governo estadual a recorrer a uma logística desafiadora para levar assistência aos 61 municípios, inclusive em áreas remotas, onde o acesso é muito difícil.

Poucos conhecem a realidade do Amazonas, reunindo locais tão inóspitos que percorrê-los representa uma grande aventura. Portanto, é muito fácil criticar um Estado sem conhecer suas peculiaridades geográficas, sociais e econômicas, condições que deveriam servir de parâmetros para decisões do governo central nos benefícios concedidos à região. Na prática, não é assim o que acontece.

Vivemos numa região continental onde cabem vários países da Europa. A densidade demográfica é tão pequena que assusta qualquer turista. O vazio demográfico dificulta a fiscalização das autoridades constituídas, abrindo precedentes para ações do crime organizado, principalmente do tráfico de drogas. É importante preservar essa rica biodiversidade, que ainda continua praticamente intocável pelos benefícios fiscais proporcionados pela ZFM. Mas agora tudo isso está ameaçado.

Nota abre Perfil

Diálogos se mostram inviáveis

O governo do Amazonas ainda aposta no diálogo para isentar a ZFM das mudanças no IPI. Porém, essa alternativa já se mostrou praticamente inviável. Tanto é que lideranças políticas articulam medidas, amparadas nas prerrogativas constitucionais, para ajuizar uma ação no STF contra o decreto presidencial. Bolsonaro não cumpriu a promessa do acordo fechado em Brasília, mantendo em definitivo a alíquota de 25% do imposto, prejudicando a competitividade das empresas instaladas em Manaus.

Na capital, a casa do senador Omar Aziz (PSD-AM) foi palco de uma reunião de emergência com outras vozes da política local para definir uma estratégica jurídica. Na mira, as ações da equipe econômica decretadas na calada da noite que ferem mortalmente o projeto ZFM. A própria juíza federal Jaiza Pinto Fraxe, com longa atuação no combate a irregularidades na região, reconhece a inconstitucionalidade do decreto. “O STF deve manter os precedentes da Zona Franca e garantir os incentivos que dão finalidade ao modelo econômico do Amazonas”, disse. Só existe um caminho – recorrer ao Supremo, guardião da Constituição, para preservar os benefícios fiscais.

Eleitoreiro

O arcebispo de Manaus, Leonardo SteIner, disse que a redução do IPI é uma questão política e eleitoreira. Ele avalia que a sociedade amazonense deve ter consciência sobre quem está tirando os direitos do Estado, algo que deve ser levado em conta pelos eleitores. “É o cuidado que nós temos que ter como sociedade civil”, afirmou o religioso durante o anúncio das ações do Comitê Amazonense de Combate à Corrupção para as eleições de 2022, na quarta-feira (20). O voto faz a diferença.

Fórum

Realizado no Amazonas, o novo fórum legislativo promete premiar as casas que mais se destacaram, tanto em Manaus como nos outros 61 municípios do interior. O evento teve grande movimentação na Câmara e na Assembleia, reunindo prefeitos e outras autoridades. Foram dois dias de discussões, objetivando ampliar o raio de atuação, aprimorando atividades que levem benefícios a toda a população do Estado, inclusive a áreas mais remotas, onde nem sempre o poder público está presente. Boa medida.

Mulheres

As mulheres ganham mais garantia de direitos. O governo do Amazonas sancionou a lei, aprovada pela Assembleia Legislativa, que assegura o sigilo de dados cadastrados nos órgãos e secretaria estaduais, garantindo a integridade física da mulher e de seus familiares. A exigência faz parte de medidas preventivas para evitar o vazamento de informações, freando qualquer investida de suspeitos de crimes sobre eventuais ameaças ou retaliações contra vítimas de violência. Outro espaço para recorrer.

Invisibilidade

Os índios continuam invisíveis. Pesquisa com 350 entrevistados de diversos setores aponta que há um grande desconhecimento e distanciamento da realidade dos indígenas, corroborando para o preconceito e a rejeição de direitos, especialmente quando se trata de terras. O levantamento ouviu empresários, economistas e políticos. Outros dados que também impressionam – a maioria das mortes registradas por disputa no campo são de yanomamis, trabalhadores sem-terra e LGBTs. Lamentável. 

Pressão

Cresce a pressão sobre os áudios vazados envolvendo sessões de tortura durante a ditadura. A Comissão de Direitos Humanos do Senado, presidida pelo senador Humberto Costa (PT-PE), solicitou o material do STM (Superior Tribunal Militar), que deve ser alvo de investigações. A maior instância das Forças Armadas vê as investidas como uma perseguição aos militares. A jornalista Míriam Leitão disse que os dados representam tempos sombrios do regime de exceção. Mancharam a nossa história.

Cadê?

Onde está o dinheiro?  O TCE-AM negou o recurso da ex-secretária de Estado de Infraestrutura Waldívia Alencar, mantendo a decisão de que ela deve devolver R$ 183,6 mil aos cofres públicos. A gestora comandou o órgão em 2013 e foi multada por um termo de convênio firmado entre a Seinfra e uma empresa de construção. O acordo foi firmado para construir quadra e uma sala de aula no Grêmio Recreativo Reino Unido da Liberdade. Investigações apontam irregularidades no contrato.

Surto

Por aqui, pensa-se que a Covid-19 já foi controlada, mas na China a situação continua emergencial, inclusive afetando as perspectivas da indústria, uma gigante mundial. O governo chinês teme que um novo surto da doença atrase a fabricação de aparelhos iPhone com proporções mundiais. As autoridades decidiram confinar milhões de pessoas em casa para prevenir a disseminação do coronavírus. Bom para refletir sobre se devemos ou não acender um novo alerta. Era hora de flexibilizar tudo mesmo?

Alfinetada

Ciro Gomes subiu o tom contra Lula, a quem chamou de mentiroso, criticando o petista pela movimentação junto aos partidos de esquerda. O presidenciável do PDT defende diálogo com os partidos União Brasil e PSD, negando que irá se impor para ser cabeça de chapa. “Sento para dialogar. Nem exijo que ninguém retire candidatura, nem posso chegar admitindo me retirar como candidato”, disse, numa clara alfinetada no ex-presidente. Política tem dessas coisas. O que interessa é a conveniência.

FRASES

“Tenho absoluta consciência”.

Flávio Antony Filho, secretário chefe da Casa Civil, ao empossar o reitor e a vice-reitora da UEA, apostando no sucesso da nova administração.

“Tem um traço plasticamente muito forte”.

Laerte, cartunista, ao falar sobre o talento do colega Arnaldo Angeli Filho, que aposentou o lápis ao ser diagnosticado com afasia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email