Chinesa fortalece setor mecânico

Empresa chinesa do Midea Carrier Group instalará fábrica em Manaus, em 2015

A ZFM (Zona Franca de Manaus) deve receber em 2015, a primeira fabricante de compressores de ar-condicionado do Estado. A instalação da empresa chinesa GMCC, que integra o Midea Carrier Group, deve representar um impulso à cadeia produtiva de condicionadores de ar. Segundo a Suframa, no período de janeiro a outubro deste ano, o segmento mecânico foi impulsionado pelo aumento de 21,53% na produção de aparelhos split e de 21,13% de aparelhos do tipo janela, em comparação ao mesmo período de 2013.
A GMCC negocia a instalação em Manaus por meio da Secretaria Executiva Adjunta de Políticas Setoriais da Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico) e da Suframa. O projeto conta com investimentos estimados em US$ 35 milhões e deve gerar 580 oportunidades de emprego, 180 logo no primeiro momento e as demais ao longo do ano.
De acordo com a Suframa, o segmento mecânico, em particular, tem sido impulsionado pela forte produção de condicionadores de ar, tanto do tipo Split system quanto pelo modelo de janela. Nos primeiros dez meses de 2014 foram fabricadas aproximadamente 3,3 milhões de unidades de aparelhos split e cerca de 655 mil unidades de aparelhos do tipo janela, o que representa crescimentos de 21,53% e 21,13%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2013.
Segundo o secretário executivo adjunto de Políticas Setoriais, Appio Tolentino, a direção da indústria chinesa demonstrou interesse em vir para Manaus após conhecer as vantagens fiscais viabilizadas às empresas do PIM. Ele informa que as negociações estão nas dependências do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e da Suframa, que trabalha na verificação do PPB (Processo Produtivo Básico), projeto que determina as diretrizes para a indústria que deseja se instalar na ZFM. “Foi a terceira vinda do grupo a Manaus. Eles conheceram todos os órgãos envolvidos no processo como a Eletrobras-Amazonas Energia e a Suframa. Isso é importante para que os investidores se sintam seguros quanto ao ingresso ao polo”, disse.
Após os trâmites relacionados ao PPB, a GMCC deve dar entrada no projeto junto à Suframa com o pedido da concessão dos incentivos por parte dos governos do Estado e federal. “O governo é rápido na apreciação de projetos. Nos esforçamos para aprovar as propostas que recebemos. Caso precisem de correção, solicitamos e logo aceleramos o processo para a sua efetivação”, comenta. Tolentino comenta que a vinda da empresa para Manaus também representa maior competitividade frente ao segmento de condicionadores de ar nacional. As fabricantes amazonenses compram o compressor do Estado do Rio Grande do Sul, único fabricante do produto no país, ou ainda, importam da China. “Boa parte das fabricantes de ar-condicionado estão no PIM e a chegada de uma fabricante de compressores representará diminuição na compra nacional e na importação de componentes. Além de maior geração de emprego e renda”. “Hoje, há um monopólio quanto à fabricação de compressores. Teremos uma concorrência forte na ZFM”, completou.
O segundo passo para a instalação da empresa em Manaus será a determinação do local. Para o secretário, as únicas barreiras quanto a implantação do projeto na cidade se restringem à limitação quanto ao acesso de ferramentas produtivas locais. Ele informa que no primeiro momento a fabricante precisará trazer equipamentos diretamente da matriz chinesa. “Não dá para produzir tudo aqui. Por isso, vão ter que trazer alguns maquinários da China. Mas boa parte do produto será montado na ZFM, sem descartar o processo de estamparia que também será feito em Manaus”, informa.

Priscila Caldas
[email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email