9 de maio de 2021

Cheia deste ano já afeta agricultura no Amazonas

O balanço das perdas ocasionadas pelas cheias deste ano culminou com prejuízos para diversos setores do agronegócio no Amazonas. A agricultura acumula perdas que contabilizam cerca de R$ 75 milhões. Os dados são do último relatório emitido no pelo Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas). As culturas mais afetadas são a banana (R$ 28,5 milhões), a mandioca (R$14,3 milhões) e o mamão (R$2,2 milhões).

De acordo com os dados do Instituto, até o momento, mais de 9 mil  famílias de agricultores já foram atingidas. As perdas é referente aos municípios de Tefé (Médio Solimões); Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Tapauá e Canutama (Purus); Guajará, Ipixuna, Envira, Eirunepé, Itamarati, Juruá e Carauari (Juruá); Manicoré e Novo Aripuanã (rio Madeira). 

Culturas da banana, mandioca e mamão foram as mais afetadas na região
Foto: Divulgação

O diretor técnico do Idam, Luiz Carlos do Herval Filho, informou que as equipes de técnicos do Idam estão atuando nas ações de crédito emergencial em todos os municípios e a lei da anistia também está apoiando esses produtores, seja na anistia parcial ou total. “Estamos atuando ainda na entrega de 13.700 kits da agricultura familiar, que possuem 10 espécies de diferentes tipos de hortaliças, frutas e grãos. Além do apoio logístico no transporte (fluvial e terrestre) das equipes da Defesa Civil nas ações emergenciais”.

O cenário apontado pelo SGB-CPRM (Serviço Geológico do Brasil), é que o rio Negro pode atingir cota de inundação em grandes proporções este ano em Manaus. O que já tem causado severos prejuízos para o setor primário.  Para minimizar as perdas, o titular da Sepror (Secretaria de Produção Rural), Petrucio Magalhães Júnior, informa que o sistema que integra  o Idam, Adaf e ADS, estão participando de ações para apoiar a categoria atingida. Ele destaca que têm equipes técnicas fazendo levantamento das perdas ocasionadas pela enchente e elaborando projetos para garantir  acesso a créditos emergenciais para os agricultores da mesma forma laudos técnicos estão sendo elaborados para a anistia que foi concedida pelo governo para esses produtores que tiveram perdas e que estão aguardando pagamentos junto aos agentes financeiros. “A anistia foi uma garantia concedida pelo governador Wilson Lima aprovado pela Aleam. Cerca de 42 toneladas de sementes estão sendo entregues nos municípios para os produtores justamente para  eles retomarem as atividades logo que o rio comece a baixar”. 

Ele diz ainda que a Sepror está em tratativa com o governo federal para a doação de 62 mil cestas básicas para os pescadores do Estado porque também estão entre as famílias  bastante afetadas. “O governo do Estado em parceria com o governo federal por meio do Ministério da Cidadania e da Sepror estão trabalhando para entregar essas cestas básicas. Da mesma forma, estamos garantindo a continuidade da compra da agricultura familiar pelo Programa de Aquisição de Alimentos da Sepror, ADS com as feiras regionais garantindo essas compras para atenuar esses problemas econômicos que estão atingindo os nossos agricultores”.

Previsão de cota severa

De acordo com o  Serviço Geológico do Brasil o rio Negro pode atingir a cota máxima de 29,45m em Manaus em 2021. Esse valor para o pico da cheia representa a média, que pode variar dentro de um intervalo provável de 28,55m a 30,35m (considerando um intervalo de confiança de 90%). Segundo o modelo utilizado, a probabilidade de que o rio venha atingir a cota de inundação em Manaus (de 27,50m) é de 99%. Para a cota de inundação severa (29,00m) essa probabilidade é de 80%.

A probabilidade de que esteja em curso uma cheia tão grande quanto a de 2012, ano da máxima histórica, existe, mas é de aproximadamente 17%. A cota máxima deve ser atingida entre junho e julho. O nível do rio Negro em Manaus depende da chuva que cai em toda a planície amazônica; a viagem da água da cabeceira até a foz do rio leva um mês.

Neste ano, o Alerta se estendeu para outras duas cidades amazonenses. Na cidade de Manacapuru, o nível do rio Solimões está acima do esperado para o atual período do ano. A previsão é que o rio atinja 20,27m em média, podendo variar entre 19,20 e 21,20m, com 90% de confiança.

Em Itacoatiara, o rio está acima do nível normal desde fevereiro e deve atingir uma média de 14,90m, com 90% de confiança de que fique no intervalo entre 14,30m e 15,6 m. A cota de inundação no município, de 14,00m, tem 99% de chances de ser atingida neste ano, e a cota de inundação severa (14,20m) tem a probabilidade de 97%.

Segundo a pesquisadora Luna Gripp, os eventos estão cada vez mais extremos na Amazônia Ocidental, tanto em frequência quanto em magnitude. Seis das 10 maiores cheias de toda a série histórica de Manaus (com dados desde 1902) aconteceram recentemente, entre 2009 e 2020.

Nesse contexto, o Alerta de Cheias é importante para minimizar os impactos à população, uma vez que no Amazonas as comunidades foram sendo desenvolvidas muito próximas aos rios, o que as torna muito vulneráveis. O Sistema de Alerta Hidrológico do Amazonas beneficia hoje cerca de 3,3 milhões de pessoas diretamente.

O boletim de monitoramento hidrometeorológico da Amazônia Ocidental mostra que a área tem 4 bacias com rios acima do nível normal para este período do ano. Na Bacia do rio Purus, o nível do rio Acre em Rio Branco (Acre) apresentou e está, atualmente, com níveis altos para o atual período.

As estações da calha do rio Solimões também se encontram em processo de enchente; nos municípios de Coari (Estação de Itapeua) e Manacapuru, os níveis atuais observados são maiores do que os esperados para o atual período do ano.

Em Manaus, o rio segue em processo de enchente e vem subindo a uma média de 6 cm por dia na última semana, encontrando-se em um nível considerado alto para o período.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email