Ceará implanta programa para cultivo de frutas de clima temperado

Produtores de 12 fazendas privadas de três regiões cearenses passarão a colher maçã, cacau, pera, caqui e azeitona. Programa é uma parceria da Embrapa

Até o fim de setembro, todas as mudas do projeto experimental de cultivo de frutas de clima temperado no Ceará estarão plantadas nos perímetros irrigados Jaguaribe-Apodi, Serra da Ibiapaba e Tabuleiro de Russas. A informação foi confirmada durante a realização da Frutal 2010, pelo pesquisador da Embrapa Semiárido (PE), Paulo Roberto Coelho Lopes.
Estão sendo implantados os cultivos de maçã, cacau, pera, caqui e oliveira (azeitona) em 12 fazendas privadas espalhadas nessas regiões estratégicas. O programa é uma parceria da Embrapa, BNB (Banco do Nordeste), Adece (Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará) e Univale (União dos Agronegócios do Vale do Jaguaribe).
De acordo com Paulo Roberto, a ideia original era implantar o projeto em 2009. Contudo, em virtude da ausência das mudas, não foi possível iniciar as atividades naquele ano. “Como não temos estações experimentais instaladas aqui, surgiram produtores que se dispuseram a disponibilizar as áreas para a realização da pesquisa. Isso é bom porque, devido ao interesse dos parceiros, a gente tem condições de avançar mais rápido e apresentar mais resultados em um tempo menor”, destacou o pesquisador, explicando que cada fazenda contratou um técnico agrícola e bancou o custo de alguns insumos para o início dos experimentos. Além disso, a Adece disponibilizou um profissional de agronomia para fazer o acompanhamento de todo o trabalho.
Ele descartou o experimento com a nêspera (fruta da família da pera, maçã e marmelo, também conhecida no Brasil como ameixa-amarela), em virtude da falta de rentabilidade deste tipo específico de cultivo para o produtor.
Paulo adiantou que ainda é muito cedo para saber os resultados desses experimentos no Ceará, apesar dos avanços identificados em outras regiões nordestinas onde já ocorreram testes.
Conforme o engenheiro agrônomo da Univale, Diógenes Henrique Abrantes Sarmento, que foi designado para realizar o acompanhamento da evolução do plantio das frutas temperadas, as primeiras plantações de cacau já foram feitas em Tabuleiro de Russas.
Para o presidente do Instituto Frutal, Euvaldo Bringel Olinda, esses experimentos só vêm reforçar uma tendência de introdução de novas variedades no Estado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email