Há inegável expectativa de que no segundo semestre, devido a vacinação estar bem mais avançada, fazendo retroceder a pandemia, nossa economia começará a reagir. Muitos entendem que o setor de serviços logo se reabilitará causando uma evolução no mercado de trabalho. Como sabemos esse segmento é o mais atingido devido ao isolamento social. E, se  tivemos pouca inflação nesse segmento, com a reação esperada esse mercado de trabalho muito sensível, em face das pessoas sem renda; será o primeiro a apresentar melhora nos números. E, mesmo administrando-se uma inflação de até 5,25% no ano em curso pouco sofrerá em decorrência das atitudes do Banco Central. Aqui não haverá pressão nos preços o que, em parte, alivia a postura do BC; não dependendo da desvalorização do real; nem tão pouco das incertezas no âmbito fiscal.

Por outro lado, o novo auxílio emergencial ao injetar R$ 44 bilhões no mercado poderá ter um efeito menor se comparado com o do ano anterior, mas refletirá em um aquecimento da economia como um todo. O objetivo é impulsoná-la, além do caráter assistencial. Há também quem entenda ser referido auxílio uma subsistência para quem recebe; sendo também fundamental para suprir suas necessidades extremas, enquanto o governo federal espera que haja uma aceleração no crescimento, segurando a inflação.

Como sempre vivemos num mundo de contrastes agora atingido pela pandemia cabendo-nos contribuir para  uma diminuição da miséria e da injustiça social, buscando criar um país mais justo e de oportunidades para todos; o que o governo federal vem fazendo, independentemente do efetivo trabalho nas demais áreas; inclusive enfrentando  os que desejam impedi-lo através da torpeza de seus atos fulcrados na destruição da Nação com o apoio da imprensa cínica. E, bem a propósito Bolsonaro acaba de encaminhar ao Congresso Nacional um projeto de lei, visando flexibilizar o teor da LDO, com o objetivo de permitir a execução de programas no ano em curso, notadamente aqueles que visem enfrentar a pandemia  e oferecer acesso ao crédito, bem como a manutenção de empregos; pouco interessando a postura habitual dos derrotados nas urnas. Agir faz parte do dever de todos, mas obstruir só para os fracos de espírito.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email