Casas de câmbio projetam crescer 50%

Analista diz que a média da taxa cambial nas duas últimas semanas oscilou em queda de dois pontos percentuais, apesar da entrada de grande volume de capital norte-americano.

A desvalorização do dólar em relação ao real não contribuiu de forma esperada para a comercialização da moeda americana nas casas de câmbio de Manaus, que permaneceram com transações estáveis do início do ano até o momento, e esperam aumentar o número de negociações em até 50% no mês de julho ante aos demais meses de 2008.
O diretor da empresa Cortez Câmbio e Turismo, Mário Cortez, atribuiu aumento na demanda pela moeda americana no mês seguinte ao período de férias. “Por mais que o dólar esteja com preço estável, a procura pela moeda americana obtém maior incremento nos meses de janeiro, julho e dezembro, considerado o período de férias. A Cortez espera aumentar o serviço de câmbio em até 40% em julho deste ano”, destacou.
Para Mário Cortez, as sucessivas quedas de preço da moeda americana neste ano, que agora está estabilizada em torno de R$ 1,6 favoreceram o mercado de viagens externas, que influencia na demanda da conversão da moeda brasileira para o dólar. “Viajar para o exterior se tornou mais rentável para o brasileiro. Além da baixa do dólar em relação à moeda brasileira, o mês de julho impulsiona a venda da moeda americana por conta das férias”, disse o executivo.
O diretor da Amazônia Câmbio e Turismo Exchange, Francisco Costa Pereira, é mais otimista em relação à comercialização do dólar para o mês de julho. “A comercialização da moeda deve aumentar cerca de 50% na empresa por conta das constantes retrações de preço que vem sofrendo”, disse.
O empresário destacou que a Amazônia Câmbio e Turismo Exchange também comercializa passagens aéreas, e a procura por viagens internacionais obtiveram maior destaque este ano em relação ao período igual de 2007, e devem ter elevação de 15% no mês de julho.
De acordo com Francisco Costa o preço do dólar deverá obter retração nas próximas semanas, e as negociações só não devem ser maiores por conta do uso de cartões de crédito nas viagens. “O uso do plástico durante as viagens para o exterior causam impacto na venda do dólar, porque muitos turistas compram a moeda americana apenas para eventuais despesas, dando preferência ao uso de cartões”, destacou o executivo.

Agências comemoram procura por viagens

A diretora da agência de viagens Rezende Turismo, Lucenize Rezende concordou com os executivos de que a desvalorização do dólar favorece a venda de passagens aéreas para outros países. “Além do dólar em queda constante, o uso de cartões de crédito também facilita a permanência dos turistas no exterior”, garantiu.

Procura elevada

Lucenize Rezende informou que houve elevação de 20% na procura de passagens aéreas para o exterior este ano em relação aos mesmos meses de 2007. “A comercialização de passagens aéreas com destino internacional tem crescido bastante nos últimos anos, e os clientes adquirem suas passagens com antecedência. A agência tem projeções de que no segundo semestre, com o início da procura por passagens para os meses seguintes e as férias de dezembro e janeiro, as vendas permaneçam estáveis”, disse.
Segundo a analista da Bovespa (Bolsa de Valores do Estado de São Paulo), Ana Carla Grossip, a média da taxa cambial nas duas últimas semanas oscilou em queda de dois pontos percentuais, apesar da entrada de grande volume de capital norte-americano, cuja alta foi 18,3% maior se comparado à primeira semana de junho.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email