CAS vai avaliar mais de 40 projetos

Após três adiamentos a 266º reunião do CAS (Conselho Administrativo da Suframa) deve ocorrer no dia 22 deste mês. A expectativa da autarquia é de que a quantidade de projetos que serão aprovados fique acima da média das últimas reuniões, devido ao maior tempo entre as reuniões. A pauta deve contemplar mais de 40 projetos.
Apesar de ainda não haver pauta fechada, a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) informou nesta terça-feira, por meio da assessoria de comunicação, que a expectativa é que “a média de 40 projetos analisados seja superada devido ao tempo entre a última reunião realizada e a atual”. No ano passado, o CAS teve, em média, 46 projetos aprovados por reunião. Na última, realizada no dia 28 de novembro, 29 projetos foram aprovados, com investimentos totais de US$ 350 milhões. A previsão é de que a quantia seja superada.
A autarquia também informou que a paralisação promovida pelo Sindframa (Sindicato dos Servidores da Suframa) ocasionou a redução no número de servidores atuando na análise das solicitações das empresas incentivadas, mas enfatizou que isso não causará prejuízos na formulação da pauta da próxima reunião do CAS. “Tanto que a próxima reunião do Conselho está prevista para ser realizada apenas uma semana depois do retorno efetivo dos funcionários da autarquia”. A assessoria do órgão também ressaltou que “a demanda de empresas continua constante, com solicitações de projetos de implantação, ampliação, atualização e diversificação”.
A demora para a realização da reunião vinha sendo criticada por empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus). Segundo o economista José Mourão Jr., a demora para a realização da reunião provoca impactos devido a dois fatores. O primeiro é que muitas empresas já fazem as contratações e se programam para pôr projetos em prática -com a demora, essas empresas têm que pagar funcionários parados. “Empresas que acreditavam na reunião que foi adiada, muitas vezes, já contrataram os funcionários. Se for um processo de ampliação, por exemplo, aí tem que demitir, segurar, esperando a aprovação. Tem também a aquisição das matérias-primas, que tem que correr depois”, destaca.
O outro ponto é a proximidade com a Copa do Mundo, que prejudicou, sobretudo, empresas do setor eletrônico. “Perdemos em prazo de Copa. Empresas poderiam ter aproveitado esse tempo. Empresas de eletroeletrônicos provavelmente sentiram um maior impacto pelo atraso porque produziam para a Copa e deviam ter projetos visando o momento. Perderam um tempo precioso”, destaca.
O gerente de controle interno da Hitachi Ar-Condicionado, Jorge Gushiken, já havia destacado os problemas enfrentados pela empresa devido à demora para se realizar a reunião do CAS. A empresa possui uma atualização de projeto em pauta para a reunião. “Estamos com uma atualização de projeto que estava na pauta e infelizmente foi postergada. A greve provocou a morosidade nos processos. A atualização de projeto é necessária para a fabricação dos condicionadores de ar da Hitachi e estão prejudicados”, destacou.
Inicialmente, a reunião do CAS estava agendada para o dia 28 de fevereiro, sendo adiada para o dia 13 de março e ficando sem data definida. Com a greve dos servidores da Suframa, o Conselho Geral do CAS chegou a cogitar a realização da reunião no dia 20 de março. Mas considerou inviável devido aos problemas da greve e as viagens que ocorreram em torno da prorrogação do modelo na Câmara. Com isso, a reunião seguiu sem data definida, até ser remarcada para 22 de abril.

Mdic e Mpog assinam acordo com sindicato
Representantes do Sindframa estiveram na manhã desta terça-feira em Brasília, na sede do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), onde assinaram os acordos feitos com Mdic e Mpog (Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão) que preveem a criação de um grupo de trabalho, para discutir o reajuste salarial com prazo de 210 dias, a ser aplicado em 2015; o cumprimento da jornada de trabalho de 40 horas com maior flexibilidade do horário; melhorias na infra- estrutura da autarquia e a construção de mais duas sedes das ALCs (Áreas de Livre Comércio) de Guajará-Mirim e Macapá/Santana com início em 2014 e finalizadas em 2015. Os acordos foram selados mediante o fim da greve dos servidores que voltaram ao serviço nesta semana.
Participaram da reunião o vice-presidente do Sindframa, Anderson Belchior, o diretor-executivo do sindicato, Sidney Nunes, o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, o secretário-executivo do Mdic, Ricardo Schaefer, além de Ronaldo Santos, secretário-geral da Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal) e dos senadores Eduardo Braga (PMDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email