CAS avalia pauta de R$ 1,8 bilhão e geração de 2.057 empregos

O Conselho de Administração da Suframa avalia, nesta quinta (26), uma pauta com 32 projetos industriais e de serviços, que somam R$ 1,80 bilhão em investimentos totais no Polo Industrial de Manaus. As propostas avaliadas na 299ª Reunião Ordinária do CAS são de implantação (10) e também de atualização, diversificação ou ampliação (24), e preveem geração de 2.057 postos de trabalho para o PIM, em até três anos.

A pauta submetida hoje ao crivo dos conselheiros do CAS é extensa e diversa, incluindo bebidas, artigos de relojoaria, eletrônicos, produtos de metal, luminárias, resinas termoplásticas, componentes eletrônicos e de informática, resinas termoplásticas, e embalagens, entre outros. Do ponto de vista da criação de empregos, o maior destaque da pauta vem da Foxconn Moebg Indústria de Eletrônico. Trata-se de um projeto de implantação para produção de placa de circuito impresso montada (de uso em informática), com previsão de aportes de R$ 371 milhões e expectativa de geração de 330 novos postos de trabalho no PIM.

A iniciativa industrial com maior volume previsto de investimentos é a da E.P.A. – Empresa de Plástico Da Amazônia. No caso, é um projeto de ampliação para produção de chapa, folha, tira, fita, película de plástico (exceto a de poliestireno expansível e a auto-adesiva), com previsão de investimentos da ordem de R$ 535 milhões e a expectativa é criar 183 vagas de trabalhos. Também merece destaque o projeto de diversificação para produção de placa de circuito impresso montada (exceto de uso em informática) da Mk Eletrodomesticos Mondial. A previsão de investimentos é de R$ 258 milhões e a expectativa é gerar 166 novos postos de trabalho.

Esta é a quarta reunião do CAS, neste ano. Caso a íntegra da pauta ganhe o aval dos conselheiros, a Suframa terá dado sinal verde a uma cifra próxima a R$ 7,8 bilhões em investimentos, alocados em 158 projetos, com estimativa abertura de 7.861 novos empregos. Para efeito de comparação, nas quatro reuniões realizadas no acumulado dos oito primeiros meses de 2020, o Conselho de Administração da Suframa referendou 112 projetos, totalizando aproximadamente R$ 3,62 bilhões em aportes de capital e abertura de 5.847 vagas no mercado de trabalho da capital amazonense.

A 299ª Reunião do CAS será presidida pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa, e contará também com a participação do superintendente da Suframa, Algacir Polsin, além da presença de demais representantes de órgãos governamentais, dirigentes de entidades de classe e parlamentares. 

Confiança e diferencial

As lideranças do PIM consultadas pela reportagem do Jornal do Commercio foram unanimes em apontar que a nova rodada do CAS é um elemento que confirma a força da ZFM, a despeito das dificuldades. Para o presidente da Aficam (Associação dos Fabricantes de Insumos e Componentes do Estado do Amazonas), Roberto Moreno, a reunião é “importantíssima” pelos projetos a serem apresentados, além de confirmar a confiança dos investidores na retomada econômica.

“É algo que traz a todos um horizonte de recuperação de nossa região e, consequentemente, do nosso país. É uma demonstração de confiança dos empresários na continuidade da recuperação da economia do país, através da contribuição desses projetos e de seus respectivos investimentos, além de ser um ponto importante, a devida criação de postos de trabalho. E tudo isso ocorrendo com todas as dificuldades para as empresas, comércio e trabalhadores”, comemorou. 

Já o vice-presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Nelson Azevedo, lembra que o Amazonas vive “dias difíceis” com o agravamento da pandemia, no Brasil e no mundo, embora o avanço da imunização sinalize recuperação econômica para a região e para o país. Segundo o dirigente, a pauta é uma comprovação de que o Polo Industrial de Manaus continua com sua atratividade na cesta de incentivos fiscais e, quem faz as contas, percebe o diferencial competitivo para instalar sua unidade fabril na capital amazonense.

“A quantidade dos projetos e sua qualidade nos mostra que estamos no caminho certo. O investidor está retomando seus projetos e continua acreditando no modelo ZFM. É com muita satisfação que os conselheiros do CAS recebem uma pauta tão recheada de projetos de implantação, ampliação, atualização e diversificação. Isso mostra a pujança desse modelo de desenvolvimento que deu certo, e que precisamos zelar e defender. Com esse volume de investimentos, e a quantidade de empregos diretos gerados, é o suficiente para justificar o que estamos dizendo”, encerrou.

Foto/Destaque: Washington Costa/ME

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email