CAS aprova US$ 813.79 mi em projetos

O CAS (Conselho de Administração da Suframa) aprovou, na tarde de ontem, durante sua 243ª reunião extraordinária, 23 projetos industriais de implantação e mais 36 de diversificação, ampliação e atualização. No total, os projetos somam US$ 813.79 milhões e abrem a expectativa de gerar aproximadamente 1.501 postos de trabalhos nos próximos três anos.
Projetos industriais de implantação de empresas como Amazon Compressores, Estaleiro Santa Rosa, Cairu PMA Componentes para Bicicletas, JVC do Brasil, entre outras, foram aprovados por todos os conselheiros. Além disso, os projetos de ampliação, diversificação e atualização também receberam aprovação dos membros do conselho.
Entre outros projetos apontados como destaque, estão a produção de autorrádio com DVD, da LG Electronics da Amazônia Ltda, a produção de lentes com tratamento multicamadas e lente orgânica, da Essilor da Amazônia Indústria e Comércio Ltda. Além desses, iniciativas da Samsung Eletrônica da Amazônia Ltda, da Panasonic do Brasil Ltda e da Sony Brasil Ltda também foram citadas como relevantes.
De acordo com o secretário- executivo do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Ivan Ramalho, entre os principais projetos estão a produção de celulares no PIM (Polo Industrial de Manaus), por parte da Samsung Eletrônica da Amazônia. “Todos esses projetos são fundamentais para a Zona Franca de Manaus, não apenas por conta da geração de emprego e renda, mas também por todo o desenvolvimento da região. O crescimento econômico da Amazônia é representado por projetos como esse”, comemorou.

Meio ambiente

Ainda segundo o secretário, o projeto de implantação da Cardnet Amazônia Indústria e Cartonados Ltda é fundamental para a região, pois também prioriza as questões de preservação do meio ambiente, com custo reduzido. Trata-se da produção de cartões plásticos impressos sem circuito eletrônico e cartão inteligente sem contato para a telefonia.
Entre os projetos de diversificação, ampliação e atualização, alguns não receberam aprovação da Suframa por não apresentarem os padrões necessários. “Alguns, por exemplo, apresentaram uma quantidade de mão de obra diferente da que é aceitável. Vamos então fazer uma retirada para uma melhor avaliação desse número”, declarou a titular da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), Flávia Grosso.
Para o governador do Amazonas, Omar Aziz, que participou pela primeira vez da reunião desde que assumiu o cargo, a ZFM possui grande representação perante todo o país. “De todos os projetos, ela é o mais importante e o PIM é o maior programa das políticas implantadas no Estado”, salientou.
Conforme Aziz, a Zona Franca de Manaus tem grande valor no Brasil pela constante geração de empregos, além do aumento na exportação dos produtos manufaturados. “Tudo isso, nos torna mais competitivos e também valoriza nosso Estado, além do crescimento econômico”, ressaltou.
Na avaliação do governador, projetos que incluem a produção constante de LCD (display de cristal líquido) são os que requerem mais atenção por necessitarem de um número maior para investimento. Por enquanto, as empresas responsáveis pela fabricação desses aparelhos são a Phillips e a Digiboard Eletron da Amazônia Ltda, cujo projeto foi aprovado na reunião de ontem.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email