Carvoaria clandestina é descoberta e desativada através de fiscalização

A Gerência de Fiscalização da Semma (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) descobriu e desativou uma carvoaria clandestina que funcionava na altura do km 12 da BR-174, no Ramal do Picapau, área rural de Manaus. A descoberta aconteceu na última quarta-feira, 12, durante uma visita de inspeção feita a um areal (área onde era feita a extração irregular de areia) e que se encontra em fase de recuperação.
No local foi encontrado um forno de grandes proporções que estava sendo preparado para a queima de madeira retirada do próprio local. A estimativa é de que o forno estivesse funcionando há cerca de quatro meses. Dois homens que estavam no local conseguiram fugir. A operação foi realizada em conjunto com a Guarda Civil Metropolitana, com um efetivo de 15 pessoas.
“O forno deveria ter capacidade para a produção de aproximadamente uma tonelada de carvão”, avaliou o gerente de Fiscalização interino da Semma, Murilo Cirino. Segundo ele, além da retirada irregular de madeira para alimentação do forno os responsáveis pelo funcionamento da carvoaria também cometem crime de poluição atmosférica. “Encontramos uma grande quantidade de madeira já cortada para ser queimada”, acrescentou Murilo, explicando que a queima para fabricação de carvão tem que ser licenciada ­pelos órgãos ambientais. O forno –construído de tijolo e barro– foi destruído pelos fiscais.
A ação de monitoramento se estendeu até a altura do km 30 da rodovia. De acordo com Murilo Cirino, foram encontradas algumas irregularidades, como a presença de depósitos de lixo clandestino, desmatamento e extração irregular de areia. Murilo informou que denúncias sobre a presença de carvoarias e a extração irregular de madeira também podem ser feitas pelo 0800 92 2000, da Semma.
“Muitas carvoarias clandestinas escolhem os ramais situados ao longo da BR para se instalar porque são área de difícil acesso e que só podem ser percorridas por veículos tracionados ou caminhões de eixo alto”, afirmou, garantindo que as vistorias são periódicas e terão continuidade.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email