7 de março de 2021

Carteiras digitais são vulneráveis

Com as facilidades trazidas pelas transações feitas usando os smartphones –principalmente após a chegada do PIX -, muitas pessoas preferem resolver questões financeiras usando o aparelho. No entanto, antes de qualquer coisa, deve-se entender os riscos dessa prática.  

A rapidez com que essas transações são feitas, principalmente quando se usa o PIX, pode dificultar a recuperação do dinheiro, já que é tudo instantâneo. Por isso, é sempre importante ficar de olho para evitar cair em golpes do tipo. Confira alguns cuidados.

Ataques phishing 

De acordo com um levantamento feito pela empresa de segurança Kaspersky, mais da metade dos ataques de phishing aplicados no mundo tem como objetivo a extração de credenciais bancárias. Por isso, sempre é bom ter em mente que os bancos não solicitam senhas pessoais para realizar nenhum serviço.  

“Devemos entender que, ao compartilhar dados e senhas bancárias, estamos nos expondo ao risco. Isso se aplica em uma ligação, em um site ou quando voluntariamente pedimos a um amigo para realizar uma compra com nosso cartão pessoal”, comenta Roberto Rebouças, gerente-executivo da Kaspersky Brasil.  

Roubo de WhatsApp 

Mesmo com as polêmicas envolvendo a nova política de privacidade, o WhatsApp ainda é um dos mensageiros mais utilizados atualmente. Isso faz com que alguns golpes se concentrem lá e busquem usuários desavisados. Um desses é o roubo da conta do mensageiro.  

Normalmente, criminosos se passam por alguma loja ou instituição e solicitam um código que foi enviado por SMS para a vítima. A principal alegação é que esses números são necessários para realizar um cadastro. 

No entanto, trata-se do código de registro do mensageiro em outro aparelho. Caso a vítima informe, a conta é roubada e os criminosos conseguem acesso às conversas presentes no aplicativo –incluindo informações pessoais em alguns casos.  

Para evitar isso, o usuário deve se atentar à descrição do SMS recebido. Geralmente sua finalidade está descrita. Em segundo lugar, a autenticação de dois fatores deve estar ativa. Com isso, além do código enviado via SMS, o usuário deve informar uma senha pessoal antes de registrar o mensageiro em um novo dispositivo.  

Solicitação de dinheiro 

Além do roubo de contas, os usuários devem ficar atentos a um golpe que clona o WhatsApp das vítimas. Com isso, os criminosos conseguem solicitar dinheiro de parentes e amigos. Normalmente, a justificativa é que há uma dívida a ser paga, por isso a urgência. 

Para evitar dores de cabeça, especialistas em segurança indicam que nunca se deve fazer transferências bancárias sem antes conversar pessoalmente com o solicitante, além de sempre verificar os dados da conta para onde o dinheiro está sendo transferido.

Cuidado com arquivos recebidos 

Por último, mas não menos importante, deve-se ter um cuidado redobrado com os famosos trojans bancários, que utilizam o aparelho das próprias vítimas para realizar transações.

Essas ameaças se espalham principalmente por meio de anexos enviados por desconhecidos ou instalando aplicativos infectados.  

“Os trojans financeiros podem chegar por meio de mensagens com anexos ou links maliciosos que instalam o programa malicioso, sem que o usuário nem mesmo perceba”, declara Rebouças.  

Por isso, neste caso, recomenda-se que os usuários nunca abram arquivos ou cliquem em endereços enviados por desconhecidos. Caso contrário, o smartphone pode ser infectado, comprometendo a segurança dos dados presentes no aparelho. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email