17 de maio de 2021

Carreira profissional: 5 dicas para se reinventar para 2021

Que tal começar o próximo ano de olho em uma nova carreira ou expertise? Profissionais multipotenciais estão em alta no mercado de trabalho

O cenário de incertezas que se apresentou em 2020 fez muita gente repensar os rumos da carreira profissional. Se você está entre essas pessoas que –por desejo próprio ou por questões exteriores, como ter sido demitido –também precisou repensar os próximos passos, o começo do ano é  um bom momento para fazer isso. Enquanto 2020 se despede, a hora é de ir organizando a agenda para focar numa reinvenção profissional.

Há quem já tenha feito isso ao se mudar para uma cidade menor, as chamadas Cidades Zoom, ou tendo revisto questões de gastos e consumo para poder desacelerar no volume de trabalho e mudar de estilo de vida ao precisar de menos. De todo modo, se reinventar está na pauta do dia, como garante Maria Eduarda Silveira, fundadora da Bold HRtech, empresa de recrutamento e seleção, e também criadora do canal Carreira Orgânica: “O mercado vem se transformando muito rápido e se reinventar já faz parte da rotina dos profissionais antenados”.

Especialista no assunto, Maria Eduarda possui especialização em liderança pelo Insper, além de people analytics pela FIA e MBA em RH pela FGV (Faculdade Getúlio Vargas). Atua como headhunter há quase 10 anos e, por isso mesmo, sabe identificar quando, muitas vezes, entramos no “piloto automático profissional”. Com a correria do dia a dia, fica ainda mais difícil dar uma “sacudida” na carreira. Mas, para quem deseja fazer essa mudança –seja ela grande ou pequena -, ela dá 5 dicas-chave de por onde começar e desmistifica conceitos. Confira.

Como saber quando se reinventar?

A especialista em carreira indica, antes de mais nada, fazer uma pausa para rever o cenário em que se está e entender o primeiro passo. “Analisar o cenário, perceber se estamos felizes e satisfeitos com a nossa função; pedir feedback sobre nossa atuação e desempenho; e fazer um benchmarking da nossa cadeira no mercado podem ajudar muito a saber se estamos precisando nos reinventar”, explica ela. Está aí um ponto de partida concreto que você pode começar a fazer antes de acabar o ano.

A era dos profissionais multipotenciais

Já foi o tempo em que as pessoas passavam a vida toda numa mesma empresa, área de atuação, cidade e até realizando tarefas repetidas. Mesmo assim, ainda há um senso comum ligado à perda quando alguém deixa de lado uma carreira para começar outra. Para Maria Eduarda, é preciso ultrapassar esse pensamento: “Cada vez mais encontramos profissionais multipotenciais no mercado. As relações de trabalho estão, mesmo que aos poucos, se flexibilizando e a tendência é que isso potencialize”, afirma.

Ela ainda completa: “Trabalhar em mais de uma coisa e/ou empreender em rede será cada vez mais comum no mercado. As empresas mais flexíveis veem isso como algo positivo e agregador”. Mas se você ainda trabalha em uma empresa mais tradicional, precisa ter paciência porque as mudanças na cultura do local podem ser lentas: Acredito que mostrar o seu valor e destacar as habilidades desenvolvidas em diferentes atuações podem ser de grande valia. O mercado está mudando e novas profissões e oportunidades estão surgindo, por isso mudar de profissão ou ter mais de uma é algo que tende a crescer”, finaliza.

Perca o medo de mudar de carreira

“Esse medo é normal, fomos ensinados a estudar, conseguir um emprego e seguir uma carreira única”, reforça a especialista, linkando a dica com a dada acima. “Qualquer coisa diferente, não era visto como uma ‘carreira’. Mas, hoje em dia, aprender coisas novas e conhecer segmentos diferentes pode agregar valor à trajetória profissional. Para quebrar essa barreira é preciso se conhecer: o autoconhecimento é uma peça chave nesse momento”, diz Maria Eduarda.

Comece a perguntar a si mesmo coisas como “O que eu gosto de fazer?”, “Como posso fazer?”, “Eu ganharia dinheiro com isso?”. “Essas são perguntas importantes para começar. A partir disso, conversar com pessoas que fizeram a transição pode ajudar a ver pontos positivos e desafios da jornada”.

Comece a guardar dinheiro

Fazer uma virada radical leva mais tempo do que pequenas movimentações de carreira. Mas, para os dois casos, a dica da expert é certeira: “Se programar financeiramente é importante. Um percentual muito grande do medo da transição é a questão financeira e fazer um planejamento para uma trará um certo conforto para quebrar a barreira”, aconselha ela. “Se você sabe muito o que quer, confie em si mesmo, trabalhe duro e seja resiliente. Fazer uma transição nunca é fácil, mas quando saírem os resultados isso pode ser bastante gratificante”, fala a expert.

Passo a passo da reinvenção

Não existe uma “cartilha” certeira de como fazer uma transição de carreira ou se reinventar numa área em que já se está, mas Maria Eduarda Silveira recomenda o seguinte roteiro: “Estude coisas novas sempre”. Elas ajudam a ter visões múltiplas e diferentes do mundo. Depois, “faça um networking potente”: sem ele, fica mais difícil de passar de um lugar a outro. Na sequência, ela aconselha estudar a si mesmo: “se conheça e conheça seus pontos fortes”. Para finalizar, “tenha mentores” e siga com “coragem e disciplina”. Essas duas últimas fazem quem quer se reinventar andar mais rápido.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email