Carnaval deve injetar uma receita 2,5% maior do que o valor registrado no ano passado no Amazonas

Confetes, serpentinas e muito otimismo tem movimentado o comércio varejista durante o período carnavalesco. A data, que é uma das principais festividades do calendário brasileiro, tem turbinado as vendas.  Muitas lojas já estão devidamente ambientadas e preparadas para a demanda durante o período. E a expectativa do setor é grande. De acordo com um levantamento da CDL-Manaus ( Câmara de Dirigentes Lojistas), o período deve representar um aumento de 2,5% nas vendas de produtos e serviços no Carnaval de 2024 do que foi registrado ao ano anterior, resultando em uma arrecadação estimada de R$ 50 milhões, com um ticket médio previsto de aproximadamente R$ 230.

A pesquisa da CDL Manaus mostra que, em 2024, pelo menos 48% pretendem gastar até R$ 300, 27% de R$ 301 a R$ 600, 19% de R$ 601 a R$ 1mil e 6% acima de R$ 1mil. O estudo considerou as respostas de  2.158 participantes entre homens e mulheres maiores de 18 anos.

O setor de serviços deve garantir incremento durante o período. O estudo aponta que bares e restaurantes serão a escolha de 42 % dos foliões – o transporte particular está entre a opção de serviço para 40% dos indivíduos entrevistados – 25% pretende adquirir ingressos para os bailinhos e festas – as hospedagens em hotel é a escolha de 20% – serviços de beleza 18%, aluguel por temporada (15%), passagens de avião/ônibus (13%), não lembram/não sabem (12%), entradas para trio elétricos/confecção de abadá (11%), revisão/manutenção de carro (10%), agência de viagem (8%), ingressos para parques (7%), outras opções (5%) e alerta de fraudes de documentos (2%).

Não é à toa que uma pesquisa divulgada pela Abrasel (Associação de Bares e Restaurantes),  aponta que o setor deve faturar em torno de 15% durante os dias festivos deste ano, em comparação com o mesmo período de 2023.

Conforme os dados da CDL-Manaus, entre os produtos que pretendem comprar, a cerveja lidera a opção de 51% dos respondentes – refrigerantes 41%, comidas e lanches 48% – sucos, água e energético são as escolhas de 44% – churrasco 39%. Petiscos, salgadinhos 38%, Protetor solar 33%; vinho, Vodka, cachaça; também estão na lista de 32%. Seguido de biscoitos/guloseimas (30%), acessórios (23%), maquiagem (16%), preservativos (14%), repelente (10%), não decidiram (9%), jogos/brinquedos (6%), celulares (3%), ar condicionado/ventilador (2%), outras opções (2%) e TV (1%).

Em relação a forma de pagamento, 53%  pretende utilizar dinheiro,  para pagar por meio do PIX é a opção de 48%. O cartão de crédito parcelado será a opção de 39%. Outros 37% pretendem usar o cartão de débito e 25% cartão de crédito à vista..

A pesquisa revelou as preferências dos foliões em relação ao tipo de festividade que pretendem participar. Cerca de 39% optarão por blocos de rua, 26% não têm uma preferência específica, 16% escolheram festas e bailes, 8% desfiles de escolas de samba, 6% ensaios de escolas, 2% trio elétrico, 1% outras opções e 2% não decidiram.

Considerando os locais preferidos para compras, o Centro da cidade será a escolha de 54% dos foliões. As lojas de bairros são a opção de 42% seguida de supermercados 40%, shoppings centers 32% e 16% deve comprar pela internet.

Tudo pronto

A folia de Carnaval vai acontecer este ano entre os dias 10 sábado  e 14  quarta-feira de cinzas de fevereiro. Muitas lojas estão apostando nos descontos e formas de pagamento especiais. A loja da Carla Rios que atua no ramo de acessórios carnavalescos, por exemplo, tem produtos a partir de R$ 8. “A nossa ideia é oferecer aos nossos clientes um preço justo para conseguir montar um look de carnaval com muitas opções e sem perder o estilo. Glitter, acessórios, pedrarias, tiaras, mascaras e artigos que remetem ao período sem pesar no bolso possibilita que todos brinquem durante esses dias”. 

Perfil dos entrevistados

O estudo entrevistou 60% de pessoas do sexo feminino e 40% do sexo masculino, com faixas etárias distribuídas entre 18 a 24 anos (18%), 25 a 29 anos (23%), 30 a 39 anos (40%), 40 a 49 anos (12%) e 50 anos ou mais (7%).

Outros dados

O Carnaval de 2024 deve injetar cerca de R$ 9 bilhões na economia, um aumento de 10% em relação a 2023, segundo a CNC ( Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

O registro é uma alta pelo quarto ano seguido. Em fevereiro de 2020, um mês antes do anúncio da pandemia de Covid-19, o Carnaval arrecadou aproximadamente R$ 8,6 bilhões.

“Agora, a perspectiva é de melhoria. O turismo brasileiro vem crescendo a passos largos nos últimos anos, impulsionando todas as datas relevantes para o setor, incluindo o Carnaval”, afirmou a CNC.

Andréia Leite

é repórter do Jornal do Commercio
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário