18 de abril de 2021

Cargo para Protógenes no Esporte fracassa

A tentativa do PC do B de dar uma nova vitrine para o delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, no Ministério dos Esportes fracassou

A tentativa do PC do B de dar uma nova vitrine para o delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, no Ministério dos Esportes fracassou. Sem uma definição do Ministério da Justiça para a transferência do delegado, o ministro Orlando Silva (Esportes) afirmou nesta quarta-feira que o convite para ele comandar a Comissão de Segurança em Estádios perdeu o sentido.
Afastado da PF desde março, Protógenes -que coordenou a Operação Satiagraha contra o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity- deve se lançar candidato nas eleições de 2010 e, com isso, teria que deixar o posto no ministério em abril.
“Como conheço ele (Protógenes), sei que é um servidor disciplinado, dedicado, com grande capacidade de trabalho, solicitei no dia 1º de setembro a cessão ao ministro Tarso Genro (Justiça) e não tivemos nenhuma manifestação do Ministério da Justiça até agora. Talvez tenha ficado velho esse pedido de cessão, porque estamos em janeiro e terá que se desincompatibilizar no início de abril. Talvez o prazo tenha sido vencido. O prazo disponível para que ele cumpra suas missões se exauriu”, disse.
Segundo o ministro, foi Protógenes quem lançou a ideia de ocupar uma vaga no ministério. Essa negociação teria ocorrido antes de sua filiação ao partido. O delegado teria argumentado que foi “rebaixado” em suas funções na PF.
“Eu conheço ele (Protógenes) há muitos anos. Eu o conheci porque ele participava de uma comissão da Fifa que tratava de combate à lavagem de dinheiro e outros temas. Ele manifestou há alguns meses interesse em somar com nossa equipe avaliando que a atividade dele tinha sido rebaixada na Polícia Federal, ele propôs vir para cá”, afirmou.
Orlando Silva reconheceu que as pretensões políticas do delegado podem ter prejudicado o ingresso dele nos quadros do ministério. “O que mudou de lá para cá é que o delegado se filiou a partido político e ao que eu sei será candidato no ano que vem. Com ele candidato, é outra realidade”, disse.
Protógenes responde a processo disciplinar por suspeita de vazamento de informações na Operação Satiagraha.
Apesar da projeção nacional, ele foi afastado da investigação e acabou virando alvo de um inquérito da PF que investiga desvios durante a Satiagraha.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email