Carga tributária em presente para Dia das Mães chega a 59%

A carga tributária sobre os produtos mais procurados para o Dia das Mães pode chegar a 59%, segundo cálculos do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), como é o caso do forno micro-ondas

A carga tributária sobre os produtos mais procurados para o Dia das Mães pode chegar a 59%, segundo cálculos do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), como é o caso do forno micro-ondas.
De acordo com o levantamento, os impostos continuam a pesar nos itens, apesar da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).
O fogão de quatro bocas, por exemplo, tem 27,28% de tributos, (contra 29,54% em 2008). A geladeira tem 36,98% (contra 37,88% do ano passado), e o veículo popular carrega 33,83%, contra 37,55% de 2008.
“A redução do IPI é uma medida benéfica para os contribuintes, mas é direcionada à uma parcela da população, como exemplo nos veículos, não são todos os contribuintes têm condições de comprar um carro.
Se o governo federal quiser atingir toda a população ele deveria alterar os tributos que incidem em todos os produtos, como o PIS, a Cofins e os incidentes sobre a folha de salários”, afirmou o diretor técnico do IBPT, João Eloi Olenike.

Crise e feriados

As vendas com cheque e com crediário registraram forte queda em abril deste ano prejudicadas pela crise e pelos feriados, segundo dados da ACSP (Associação Comercial de São Paulo).
As consultas ao SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) -que indicam as vendas a prazo- e ao SCPC/Cheque (vendas à vista) registraram quedas de 19,1% e 10,0%, respectivamente, comparados com abril de 2008. Em relação a março deste ano, as quedas foram de, respectivamente, 15,9% e 8,8%.
Os registros recebidos (carnês que entraram para o cadastro) cresceram de forma moderada com acréscimo de 1,8% sobre abril de 2008, mas, segundo a ACSP, persiste a dificuldade na renegociação dos débitos atrasados, que caíram 3%.
Em abril deste ano, as falências requeridas cresceram 61,8% sobre uma base fraca, em abril de 2008. Porém deve-se ressaltar que aumentaram as dificuldades na concessão de crédito para as micro, pequenas e médias empresas nesse período.
Segundo Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo, a expectativa para maio deve apresentar um resultado melhor, como reflexo da redução do IPI na linha branca e materiais de construção, e pela queda da taxa Selic. “É fundamental que os empresários do comércio continuem fazendo promoções com ofertas que revertam esse quadro”, disse Burti.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email