Campanha ‘Todos pela Saúde’ ajuda no combate ao novo coronavírus

Nunca antes, no Brasil, houve uma mobilização tão grande de pessoas e instituições buscando ajudar o próximo mais necessitado como agora, devido a pandemia provocada pelo coronavírus. De ranchos angariados junto a amigos, a EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) produzidos por instituições com impressoras 3D ou mesmo adquiridos em fabricantes por grandes empresas, de Norte a Sul, de Leste a Oeste, o país vai enfrentando a pandemia com poucos ficando sem assistência. Algumas ações têm apresentado tão vultosa importância, que provavelmente permanecerão, ainda que latentes, mas preparadas para ser acionadas a qualquer momento, como o ‘Todos pela Saúde’, iniciativa do Itaú Unibanco.

O ‘Todos pela Saúde’ foi lançado em 13 de abril, duas semanas após o país começar a parar, com um aporte inicial de R$ 1 bilhão, administrado por um grupo de especialistas da área da saúde e ações estratégicas baseadas em premissas técnicas e científicas.

A necessidade de EPIs foi apontada como uma das mais urgentes pelos 27 secretários de saúde que participaram da reunião promovida pelo ‘Todos pela Saúde’, ainda em abril.

“O valor doado pelo Itaú para ajudar a combater a pandemia já chega a R$ 1,25 bilhão, sendo R$ 1 bilhão para o ‘Todos pela Saúde’ e o restante para outras iniciativas também com foco na saúde pública”, completou Cláudia Politanski, vice-presidente do Itaú Unibanco.

Com uma estrutura de governança própria, a tomada de decisões sobre onde os recursos serão aplicados é exclusivamente do grupo de especialistas. As iniciativas estão em consonância com as necessidades imediatas do SUS, identificadas através de contatos com as secretarias estaduais e o Ministério da Saúde.

“Todo o país está recebendo a ajuda viabilizada pelo ‘Todos pela Saúde’, não importando as distâncias. As rotas são diversas, mas o material chega ao seu destino, seja por transporte terrestre ou aéreo”, revelou o Dr. Paulo Chapchap, diretor-geral do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

São Gabriel da Cachoeira

Até agora a ação destinou para o Amazonas um total de mais de 500 mil EPIs e equipamentos, entre eles máscaras cirúrgicas, máscaras N95, luvas, óculos, aventais, álcool em gel e respiradores. O material foi entregue para a Susam (Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas) que providenciou a distribuição aos profissionais de todo o Estado.

A primeira cidade a receber o material foi Manaus e nesta semana foi a vez de São Gabriel da Cachoeira, a terceira cidade do Amazonas em número de infectados pelo coronavírus. Chegaram à cidade no alto rio Negro mais de 180 mil EPIs (70 mil máscaras cirúrgicas, sete mil máscaras N95, 98.900 gorros, 400 óculos de proteção, 6.500 mil aventais, 365 face shields). Até ontem, 15, São Gabriel estava com 3.040 casos confirmados, atrás de Coari (6.159) e Manacapuru (3.281).

saúde

“Grande parte do problema de atendimento à pandemia, como já demonstrado na Europa, é a falta da proteção individual para equipes de saúde. Se contaminados, esses profissionais são afastados, prejudicando o atendimento à população. É fundamental proteger quem cuida. Eu cuido de quem está cuidando e, assim, asseguramos a saúde de toda a população”, falou Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein.

“O ‘Todos pela Saúde’ não tem data para acabar e deixará um legado para o país por meio de iniciativas que transcenderão a pandemia, como os centros de testagem, o trabalho nas ILPIs (Instituições de Longa Permanência de Idosos) e as reformas nos centros de acolhimento, por exemplo”, concluiu o presidente.

Números grandiosos

O ‘Todos pela Saúde’ é liderado por Paulo Chapchap e conta também com a participação de Drauzio Varella, médico, cientista e escritor; Gonzalo Vecina Neto, ex-presidente da Anvisa; Maurício Ceschin, ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde; Eugênio Vilaça Mendes, consultor do Conselho dos Secretários de Saúde; Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein; e Pedro Barbosa, presidente do Instituto de Biologia Molecular do Paraná, instituição ligada à Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Entre os materiais já disponibilizados: mais de 14 milhões de máscaras distribuídas para a população; 90 milhões de EPIs adquiridos; criação de 27 Gabinetes de Crise em todos os estados brasileiros e no DF; 175 milhões de pessoas impactadas pela campanha de conscientização e educação para o uso de máscaras; 600 ILPIs apoiadas, beneficiando 50 mil pessoas entre idosos e colaboradores das instituições; oito Centros de Acolhimento em construção em diferentes estados; 44 mil testes para caminhoneiros em São Paulo; sete mil diagnósticos de tomografia realizados com uso de inteligência artificial; seis mil consultas/mês devem ser realizadas pelo programa de atendimento psicológico a profissionais da linha de frente; 25 mil testes poderão ser analisados por dia nos dois novos Centros de Testes que o ‘Todos pela Saúde’ está construindo em parceria com a Fiocruz; mil leitos de alojamento; 174 leitos hospitalares e 300 cilindros de oxigênio doados em apoio a populações indígenas e refugiados; R$ 50 milhões estimados para pesquisas de vacina contra a covid-19.

No dia de ontem foi enviado para Manaus mais 3840 litros de álcool gel (5L),  60 mil máscaras N95, 250 mil máscaras tradicionais,  540 face shields,  550 oxímetros e  550 pilhas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email