Campanha busca manter ânimo dos varejistas em meio a crise

O comércio varejista está entre os mais afetados pela crise em função da pandemia do novo Coronavírus. Para reanimar empresários do setor e motivar o consumo, a Fecomercio/AM (Federação do Comércio no Amazonas), lança  esta semana uma campanha com vídeos nas redes sociais para informar aos empresários do comércio, alternativas em relação às vendas neste período e apresenta à população opções de compras. 

O setor tem sofrido baixas sem precedentes frente a suspensão das atividades. Para entender o agravo das perdas, dados da pesquisa da CNC, disponibilizados na última segunda-feira (20), indicam que a crise do Covid-19, fez a intenção de consumo das famílias cair 2,9% entre março e abril, com avanços da pandemia. O declínio na confiança do consumidor de Manaus, seguiu a queda do mês de fevereiro. O índice de ICF (Intenção de Consumo das Famílias) considera uma queda especialmente entre os que ganham menos de dez salários mínimos mensais

Em matéria veiculada no Jornal do Commercio, Aderson Frota, presidente em exercício da Fecomercio-AM, comentou que a intenção de consumo tem sofrido decréscimos já há algum tempo e foi acentuada pela força das circunstâncias. Além disso, a situação atual acarreta nível de desemprego acentuado na capital. “E já vemos um agravamento da violência, inclusive doméstica. Estamos apenas no começo da pandemia, mas a situação, a meu ver, vai ficar mais grave ainda”,disse. 

Entidades do comércio sinalizam preocupação com o impacto da crise no setor e observam atentos até que retornem às atividades. Enquanto isso, o foco está na motivação e na união da categoria em busca de reduzir os efeitos negativos enfrentados pelo segmento.

“A campanha de mobilização das entidades demonstram que estão unidas as ações que estão sendo implementadas e que o apoio institucional é total das entidades representativas do segmento”, comenta o presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ataliba Filho, ao defender que a abertura do comércio deve ser flexibilizada devendo ser gradual, seguindo a orientação das autoridades de saúde, com uso de EPI pelos colaboradores e um controle do fluxo de pessoas nos estabelecimento. “Observando e controlando esse fluxo. Acho que resumindo é uma abertura com responsabilidade”. 

Na mesmo tom, o presidente da FCDL (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Amazonas (FCDL), Ezra Azury Benzion, defende que toda ajuda é bem-vinda e que a entidade está em consonância com todas as associações com intuito de voltar a operar o comércio com segurança, responsabilidade e norma de higiene. “A nossa ideia é que estejamos preparados tendo ações preventivas, planos estratégicos para a abertura dos negócios Para não sermos pegos de surpresa e ter que abrir em cima da hora. Nós já estamos preparados”, contou. 

Bons olhos

O consultor empresarial Osires Silva, crer que é  legítima a preocupação da entidade sobre  a flexibilização da atividade comercial. E que as alternativas de estímulo para ajudar o segmento  como o comércio eletrônico, entrega em domicílio e no modelo drive-thru são vistos com bons olhos. Contudo, ele salienta que, em qualquer hipótese, não se pode descuidar da vida humana. “Penso como prioridade máxima a preservação da integridade da população, o extremo cuidado com a saúde pública. Diante de tão grave crise provocada pela devastadora pandemia do coronavírus, sem nenhuma dúvida a conservação da vida tem precedência sobre a economia, não obstante os prejuízos que vêm sofrendo empresas, patrões e empregados. Entendo ser dever do governo, das entidades de  classe, das representações políticas administrar criteriosamente a crise tendo em vista minimizar ao máximo os efeitos danosos do vírus  sobre a sociedade”. 

Sobre a campanha

Na campanha, a Fecomércio destaca ainda a linha direta disponibilizada pela instituição para sanar dúvidas dos empresários, em relação ao funcionamento do comércio e explicações sobre os decretos dos governos estadual e municipal que impactam na atividade comercial.

A campanha motiva os empresários a pensar alternativas para esse momento, pois a tempestade lembre-se vai passar. Buscar o novo como foco no de comércio eletrônico, entrega em domicílio e no modelo drive-thru. É informado o telefone de plantão da Fecomércio (92) 98414-2236.  Recomendando ainda aos  consumidores o comércio do seu bairro, onde as pessoas  podem encontrar tudo o que precisa com qualidade e preço baixo. Assim podem evitar aglomerações, contágios e preserva a saúde e de toda a família. 

O presidente em exercício da Fecomércio AM, Aderson Frota, destaca a importância da comunicação com as classe comercial do estado do AM. "A Fecomércio AM representa todo o segmento comercial  de serviços e turismo do Amazonas. Nesse momento, atravessamos uma crise profunda motivada por uma pandemia e não sabemos quando retomaremos as atividades. Grande parte de toda a atividade comercial está paralisada gerando um cenário de incertezas. Precisamos focar em um meio que atue nas preocupações relativas à saúde da população, mas acima de tudo, encontrarmos um ponto de compatibilização capaz de retomar a atividade comercial, reduzindo os impactos econômicos. Nesse contexto, a informação entre a Fecomércio AM e os empresários é fundamental", avalia.

Os vídeos da campanha da Fecomércio–AM podem ser acessados em fb.com/fecomercioam ou instagram.com/fecomercioam.

Fonte: Andreia Leite

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email