Camargo Corrêa faz novos empreendimentos

A Camargo Corrêa prepara-se para lançar seu segundo empreendimento residencial em Angola, na Costa do Sol, uma região nobre de Luanda Sul. O condomínio terá 220 apartamentos de alto padrão, voltados para a classe média alta angolana, e representará um valor potencial de vendas entre US$ 200 milhões e US$ 220 milhões.
O projeto será desenvolvido em parceria com a Escom Imobiliária, do Grupo Espírito Santo – que também participou do primeiro empreendimento residencial da Camargo Corrêa em Angola, o Acqua Ville, lançado no início deste ano – e com o proprietário do terreno que vendeu a área com uma parcela de permuta por unidades construídas. Carlos Horacio Santos Filho, superintendente de incorporação da Camargo Corrêa Angola, não quis revelar o valor do investimento. O lançamento deveria ser feito ainda este ano mas foi adiado para fevereiro de 2009, segundo Santos Filho, por uma questão de estratégia de marketing e vendas. “Preferimos lançar no início do ano que vem, após o período de festas”, afirmou ele.
Os preços dos apartamentos vão variar de US$ 450 mil a cerca de US$ 2 milhões e poderão ser financiados diretamente com a incorporadora, em até 30 meses. As unidades terão de um a quatro dormitórios, com áreas privativas entre 75 e 300 metros quadrados e serão distribuídas em oito edifícios a serem erguidos em um terreno de 27,2 mil metros quadrados. O início das obras está previsto para o segundo semestre de 2009 e a construção deverá durar 24 meses.
Mais conhecida por sua atuação em obras de infra-estrutura – no Brasil a empresa criou uma unidade separada para incorporação, a CCDI (Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário) – a construtora iniciou sua estratégia de internacionalização dos negócios imobiliários em Angola em março deste ano, quando lançou o Acqua Ville.
Segundo Santos Filho, foram comercializados cerca de 75% dos 148 apartamentos do empreendimento e a empresa deixou uma reserva estratégica de aproximadamente 25% para vender somente quando as obras estiverem chegando na cobertura. O término das obras do empreendimento – cujo valor potencial de vendas é de US$ 150 milhões – está previsto para o segundo semestre de 2010.
A empresa pretende lançar outros produtos em Angola nos próximos dois anos, da ordem de US$ 400 milhões a US$ 500 milhões por ano (valor potencial de vendas), informou Santos Filho. Já está em fase final um projeto comercial para ser lançado em 2009 em Luanda Sul, o Centro Empresarial Luanda Sul.
O projeto prevê 80 mil metros quadrados de área construída em um terreno de 45 mil metros quadrados, com dez edifícios de cinco andares e grandes lajes empresariais, para poucos ocupantes. Esse produto será destinado a empresas angolanas e estrangeiras que pretendam instalar novas sedes em Angola ou mudar seus escritórios para uma área de infra-estrutura mais moderna.
De acordo com Santos Filho, a carteira de contratos da companhia em Angola vem crescendo anualmente e a área imobiliária representa atualmente entre 30% e 40% dos negócios, variando em função da entrada de novos contratos de outras áreas, como infra-estrutura e energia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email