Calçada Alta abre café da manhã

O Calçada Alta já é uma tradição no Centro de Manaus como bar e restaurante. Agora, servindo café da manhã num misto do regional com doces e salgados portugueses é uma novidade que começou no final do mês de junho quando o espaço completou 32 anos de existência como legado do português Antonio Silva, e de sua esposa, Clementina, a dona Quelé, agora tendo à frente Marcos Silva, um dos filhos do casal, junto com sua esposa Keury Simões.

“Em nossas viagens por Rio e São Paulo vimos que todos os botecos servem café da manhã, o básico café com leite e pão com manteiga, então resolvemos, como presente para os nossos clientes, atuais e novos, no aniversário do Calçada Alta, fazer uma modificação nesse espaço da loja e passar a servir um café da manhã do jeito que as pessoas que moram e trabalham no Centro merecem”, falou Marcos.

Pão na chapa e café com leite, união irresistível – Foto: Divulgação

O local foi equipado com o material necessário para o preparo do café com leite, e demais acepipes como tapioca, ovos, sanduíches e salgados. Uma vitrine se encarrega do resto com os doces em exposição, muitos deles das receitas de dona Quelé como o ‘Bolo da vó Quelé’, o ‘Doce de leite e castanha’, o ‘Bolo tentador’, o ‘Bolo de chocolate’, entre outros que são uma verdadeira tentação. Até hoje, vários dos doces e salgados servidos no Calçada Alta são os mesmos de quando o espaço se chamava Doce Sabor, e dona Quelé se esmerava na cozinha preparando brigadeiros, casadinhos, olhos de sogra, pudins de leite, bolos de chocolate, além de coxinhas, risoles de carne e camarão, quibes e sanduíches americanos.

A tentação do Bolo tentador – Foto: Divulgação

“Queremos reviver aquele início do Doce Sabor, entre 1989 e depois década de 1990”, disse.

Um olhar de Keury

“Notamos que o café da manhã, no Centro, é precário. Criamos um cardápio com itens que o manauara já está acostumado: tapioca com tucumã, cuscuz, pão com tucumã, ovos fritos, crepioca mais os doces e salgados de dona Quelé e outros itens que eu criei”, explicou Marcos.

Os próprios clientes do bar e restaurante, que trabalham no Centro, já haviam falado da necessidade de um café da manhã no espaço. Marcos e Keury os atenderam.

“Mantivemos a qualidade dos nossos produtos, com preços razoáveis”, adiantou.

Keury ficou responsável pela decoração do ambiente. Trabalhando com o arquiteto Alberlan Soares, o café surgiu.

“Busquei o retrô, como homenagem à dona Quelé e seu Antonio, e o Marcos criou novas receitas. Trouxemos uma cozinha para cá, para desafogar o restaurante. Utilizei ferro e madeira, destacando a rusticidade. Acabou que o local ficou aconchegante e ótimo para quem quiser passar por uns bons momentos se deliciando com nosso cardápio”, informou Keury.

Além das tapiocas e sanduíches preparados na hora, os salgados também são fritos enquanto o café é servido e saem quentinhos para as mesas dos clientes.

Sanduíche de pernil, lembranças de Portugal – Foto: Divulgação

“Entre os itens mais solicitados, destaco o ‘Sanduíche do Portuga’, com bacalhau grelhado; o ‘Sanduíche de pernil’ e o ‘Sanduíche de pernil com abacaxi’, mais o ‘Sanduíche de filé acebolado na manteiga’. Em todos eles podemos adicionar o tradicional queijo do reino Jong, o famoso queijo bola, que meu pai já usava em seus sanduíches”, lembrou Marcos.

Queijo bola presente em todos os sanduíches – Foto: Divulgação

Marcos destacou que o queijo do reino utilizado no Calçada Alta é o autêntico, acondicionado dentro de uma lata, no formato de uma bola. Era um queijo consumido pela nobreza portuguesa, por isso ficou conhecido, no Brasil, como queijo do reino, porém, era produzido na Holanda. A coloração rosa, de sua casca, resulta de corante natural comestível.

O livro de dona Quelé

Como um sinal de que até hoje dona Quelé continua querendo ajudar no sucesso do filho e do Calçada Alta, há poucos dias Marcos encontrou um livro com dezenas de receitas escritas por ela. O livro estava desaparecido fazia anos, guardado na casa de Larissa, uma das sobrinhas do empresário.

“Ela foi remexer algumas coisas antigas, e encontrou o livro. Interessante que para cada receita tem uma foto, do produto pronto, colada do lado. Pela letra, acredito que as receitas tenham sido escritas por minha irmã Adriane, todas com letras de forma numa magnífica relíquia da família”, revelou.

Além das receitas de dona Quelé, Marcos também criou outras, como o ‘Polvo do portuga’, a ‘Linguiça de costelas com macaxeira’, o ‘Brochete de camarão’, a ‘Isca do portuga’, alguns dos novos petiscos lançados nas comemorações do aniversário do Calçada Alta.

E assim um dos espaços, primeiro lanchonete, depois bar, restaurante e agora café, mais tradicionais do Centro de Manaus vai se reinventando e mantendo a tradição da culinária portuguesa, do início da manhã até a noite. Não por acaso o slogan adotado por Marcos e Keury para seu empreendimento é ‘Aqui você começa com café e acaba com cerveja’.

O Calçada Alta funciona na rua Costa Azevedo, às segundas-feiras, das 7h às 18h; de terça a sábado, das 7h às 22h; e aos domingos, das 7h ao meio-dia. Informações e delivery: 9 9417-3269. Instagram: @calcadaalta_restaurante.                  

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email