Caixa Econômica Federal encerra 2009 com captação líquida positiva de R$ 1,1 bi

A CEF (Caixa Econômica Federal) encerrou janeiro com captação líquida positiva de R$ 1,1 bilhão em poupança, 41,4% a mais do que janeiro do ano passado. Com esse resultado, o banco atingiu o montante de R$ 110 bilhões em depósitos na modalidade, o que representa 34,07% de participação no mercado.

Outro resultado destacado pela estatal, texto distribuído à imprensa, é a ampliação da base de clientes. Hoje, a Caixa possui 39,1 milhões de cadernetas de poupança ativas, o que representa um crescimento de mais de 5% em 12 meses. Somente em janeiro, foram abertas 341,2 mil novas contas, montante este acima da média de 300 mil contas por mês.

“A procura se deve pelos benefícios que o produto oferece. A poupança da Caixa é isenta de tarifa de manutenção, não possui valor mínimo para abertura, aceita depósitos em qualquer dia do mês e não há incidência de Imposto de Renda”, enumera o vice-presidente de Pessoa Física, Fabio Lenza.

Perfil do cliente

A maioria dos poupadores (42%) concentra-se na faixa etária de 21 a 40 anos. Do total de 65% dos clientes possuem renda inferior a R$ 700.
A segurança e a liquidez, somados à facilidade de acesso e simplicidade nas regras de depósito e saque, tornaram o produto ao longo do tempo a aplicação mais tradicional e popular dentre todas as opções de investimento financeiro oferecidas pelo mercado. Para abrir uma conta de poupança basta apresentar os documentos de identidade, CPF e comprovante de endereço em qualquer agência do banco oficial.

A solidez e a tradição da marca, segundo a Caixa, também garantem a liderança histórica do produto que pela oitava vez consecutiva foi ganhadora do prêmio Top of Mind, oferecido pelo Instituto Datafolha, como a marca mais lembrada pelos brasileiros quando o tema é poupança.

O rendimento é outro fator que merece destaque, já que vem superando as demais aplicações disponíveis no mercado. O cenário de estabilidade da Selic (taxa básica de juros), mantida em índices reduzidos, tem impacto positivo na rentabilidade. A TR mais os juros fixos de 0,5% ao mês, somados à isenção de tributo e/ou taxa de administração, asseguram atratividade do produto.

Casa própria

A poupança da Caixa Econômica também viabiliza moradia a milhões de brasileiros. Em torno de 65% dos recursos depositados em poupança são direcionados à concessão de crédito imobiliário que, além de proporcionar o sonho da casa própria para uma parcela da sociedade, ainda gera emprego e renda a inúmeros trabalhadores da construção civil. Em 2009, foram concedidos em torno de R$ 23 bilhões no crédito imobiliário com recursos da poupança, o que representa mais de 100% de crescimento sobre o volume emprestado em 2008 e um recorde histórico para o banco oficial.

Com recursos da sua carteira de poupança, a Caixa Econômica emprestou em 2009 no Amazonas o valor de R$ 168,2 milhões, dentro da modalidade Carta de Crédito SBPE. O montante foi o suficiente para atender mais de 1.691 famílias.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email