Café puxa alta na cesta básica em 2011

O preço da cesta básica de Manaus teve alta de 1,48% no ano de 2011, fechando dezembro em R$ 255,79. Apesar da subida no valor anual da cesta, de novembro para dezembro houve redução de 0,98%. Se comparado com dezembro de 2010, o preço aumentou pouco mais de R$ 3,70. Os dados foram divulgados pelo Escritório Regional do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) no Amazonas na manhã de quinta-feira.
Para o vice-presidente do Corecon-AM (Conselho Regional de Economia do Amazonas), o valor da cesta em dezembro pode ter reduzido porque as compras foram na maioria de produtos natalinos. “A população comprou peru, pernil, nozes, produtos para a ceia natalina, que não são da cesta básica”, disse.
O economista apontou outro possível fator para a redução. “O que também pode ter acontecido foi um consumo maior dos produtos que não incidem impostos, como feijão e arroz”, explica.
Redução – Segundo a pesquisa, seis dos 12 produtos que compõem a cesta básica da capital amazonense tiveram redução no mês de dezembro. O preço do tomate foi o que mais caiu: 7,74%, seguido do leite, arroz e manteiga, com redução de 1,14% e 1,01%.
Com a diminuição do preço, a cesta manauense ocupa a 7ª colocação dentre as 17 capitais onde é realizada a pesquisa nacional do Dieese. Segundo a supervisora técnica do órgão no Amazonas, Alessandra Cadamuro, a posição no ranking em 2011 variou entre 5ª e 9ª posições. “Manaus ficou nessa posição não porque o preço tenha variado, e sim porque as outras capitais apresentaram uma alta maior até por questões locais”, disse.
Para o economista Ailson Nogueira, a redução de quase 1% é positiva, mas o preço continua alto levando em consideração o salário da maior parte da população. “Temos que levar em consideração que temos uma das cestas mais caras do país. Ela já está elevada”, afirma.
Alessandra Cadamuro faz um alerta. “Os preços de Manaus são os mais altos desde que começamos a fazer a pesquisa aqui (outubro de 2008)”, afirma.

Produtos mais caros

O feijão foi o item que teve o maior aumento em dezembro: 6%. Café e carne também subiram no preço, 3,32% e 2,09% respectivamente. Já no acumulado do ano, a maior alta ficou por conta do café que subiu 28,57%, comparado com janeiro de 2011. O preço do óleo de soja também subiu bastante: 15,75%. Para alegria do amazonense, o valor da farinha reduziu 29,87% em 2011.
No geral, o manauense teve um gasto maior com a carne bovina em dezembro. São R$ 72,18 pagos em 4,5 kg do produto. Já para comprar 12 kg de tomate, o consumidor teve que desembolsar R$ 57,24. O tradicional pão francês também está custando caro: 6 kg custaram R$ 33,66 em dezembro.

Salário comprometido

O amazonense, que ganha um salário mínimo, comprometeu 51,02% do rendimento líquido (R$ 501,40) para arcar com toda a despesa da cesta e precisou trabalhar 103 horas e 15 minutos em dezembro. Em novembro, a jornada exigida era de 104 horas e 17 minutos.
A pesquisa do Dieese mostra que o custo da cesta básica para o sustento de uma família de quatro pessoas foi de R$ 767,37 durante o mês de dezembro. Esse valor é aproximadamente 1,40 vezes o salário mínimo bruto (R$ 545). Em novembro, o custo foi de R$ 774,96.
Com aumento de R$ 77 do salário mínimo, o poder de compra das classes C e D deve crescer. “Está havendo um ganho real no ajuste do salário mínimo. É um benefício direto. O poder de compra dessa população deve ficar melhor e o comércio deve crescer”, disse Ailson.
Para o vice-presidente do Corecon-AM, a cesta básica de janeiro deve ficar no patamar de novembro passado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email