4 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Busca por carros seminovos esfriou novamente em abril

O Amazonas apresentou queda de 17,4% em abril na venda de veículos seminovos e 25% em relação a abril de 2021. Os dados da Fenauto (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores) apontam retração superior à média nacional, que registrou saldo de 5,6%, comparativo ao mês de março. 

Conforme o levantamento, no mês de março foram comercializados 8.194 veículos no Amazonas, em abril, o quantitativo totalizou 6.770. O segmento de auto encolheu 56,62% no referido mês frente ao 57,73% referente a março e 60,89%  a abril de 2021. 

Analisando os dados referentes ao Estado do Amazonas, o presidente da Fenauto, Enilson Sales, com relação ao acumulado de 1,4% no quadrimestre do ano, a queda de volume foi menor do que a verificada no restante do país. “Se considerarmos que esse comportamento de queda foi generalizado pelo país, em alguns casos maior do que em outros, mas verificarmos que a média de vendas diárias ficou positiva, podemos avaliar que o mercado está em um processo de estabilização, podendo apresentar esses “picos” para mais ou para menos, sempre acompanhando o humor da economia nacional”, avaliou.

Ele frisou que o aumento da inflação e também da taxa de juros para os financiamentos, é natural que o consumidor continue cauteloso e tenha mais cuidados na realização de dívidas desse porte (compra de um veículo), o que pode fazer os números mensais oscilarem ainda mais. “Mas acreditamos que com o tempo, esse comportamento de “acomodação” de vendas se torne mais constante.”

Quem acabou de comprar um veículo seminovo garante que o mercado está aquecido em razão do baixo poder de consumo da população. “O carro 0 quilômetro há  muito tempo perdeu mercado. Ainda mais agora, com a alta de juros movida pela inflação. No meu caso, eu consegui economizar para comprar um usado e garanto que fiz um bom negócio”, garantiu o microempresário Davi Melo Rocha. 

Para os revendedores, o mercado esfriou, mas entendem que é apenas uma fase que tem afetado a indústria e em geral o mercado, mas descreve que o cenário de retração ocorre após uma grande demanda pelos produtos aumentar durante a crise em relação a escassez dos veículos novos na pandemia. “Até o terceiro mês deste ano vínhamos  observando o aumento do interesse em carros seminovos e usados. Fomos nos mantendo na contramão da crise. Eu acredito que essa diminuição é natural, após arrefecimento do mercado”, pontuou a consultora de vendas Ludmila Peres.

Enilson Sales, presidente da Fenauto enfatizou que apesar que o Amazonas foi um dos estados que mais rapidamente se recuperou dos efeitos da pandemia, já pela metade de 2020, avançando para o começo de 2021, quando teve uma nova onda de COVID que fez deter um pouco o seu desempenho. Ou seja, o estado teve um pico de recuperação e depois, naturalmente, as vendas começaram a voltar ao normal, “o que percebemos é um processo de “acomodação” ou “regulação” das vendas, não só nesse Estado. Esse processo ainda deve demorar um pouco até que a entrega de veículos zero km esteja normalizada (e isso deve acontecer lá pelo segundo semestre deste ano)”. 

As marcas Gol, Onix e Siena lideraram as vendas de abril do segmento de Auto. Os modelos Strada, Saveiro e S10 foram os mais comercializados na categoria comerciais leves. 

Números nacionais

A média diária de vendas de veículos seminovos e usados, em abril, cresceu 5,6%, em comparação com março, por conta do menor número de dias úteis no mês. 

A informação consta do relatório mensal divulgado pela FENAUTO, nesta segunda-feira. 

Em comparação com as vendas de março, o resultado recuou 13,6%, fechando o mês com um total de 939.182 unidades comercializadas, contra 1.086.602.

O total de vendas acumuladas no quadrimestre alcançou a marca de 3.706.064 de veículos, contra 4.705.647, em 2021 (-21,2%).

“Percebe-se, ainda, um movimento de cautela por parte dos consumidores. “De uma maneira geral, o consumidor ainda está cauteloso em suas decisões de compra e endividamento, observando o desempenho da economia, crescimento da inflação, taxa de juros e o oferecimento de crédito. Mas acreditamos que o desempenho das vendas deve se manter estável até o final do ano”, explicou o presidente da Fenauto. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email