BTG tem até 2028 para pagar fatia de Silvio Santos

O contrato de compra de participação no Banco Panamericano assinado entre o Banco BTG Pactual e os vendedores, Silvio Santos Participações (SSP) e BF Utilidades Domésticas (BF), prevê pagamento até 2028. E no prazo de um ano, o novo controlador e a Caixa Participações (CaixaPar), que detém 49% do capital votante do Panamericano, não têm intenção de promover o cancelamento do registro de companhia aberta do banco, conforme fato relevante apresentado na noite de ontem (31) à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).
Pelo acordo, o BTG Pactual vai adquirir a totalidade das ações desses vendedores, ou seja, 67.259.328 ordinárias e 24.712.286 preferenciais, por R$ 450 milhões, valor este que será corrigido até a data de seu efetivo pagamento, por 110% da taxa DI, a qualquer momento, a critério do BTG Pactual, até 31 de julho de 2028. O comunicado ressalta ainda que este valor está limitado à importância máxima de R$ 3,8 bilhões.
Na negociação, o preço da ação ordinária ficou igual ao da preferencial, em R$ 4,89 cada. Após conclusão da aquisição, o BTG realizará uma oferta pública de aquisição de ações (OPA) aos demais acionistas, nas mesmas condições.
A CaixaPar afirma que não venderá sua participação no âmbito da OPA. Tanto a Caixa quanto o BTG Pactual assumiram o compromisso de aplicar em depósitos interfinanceiros e adquirir direitos creditórios de operações do Banco PanAmericano.
Também BTG Pactual e CaixaPar celebraram acordo de acionistas do Banco PanAmericano, com a substituição de SSP e BF, sendo que o novo acordo “será disponibilizado ao mercado tão logo se torne eficaz”, segundo o fato relevante.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email