Bráulio Lima, o defensor do pensamento estratégico estadual

Emprestando a disciplina e visão estratégica da carreira militar, o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM), Bráulio Lima, tem subsidiado as trincheiras do Governo do Amazonas com parcerias em projetos que permeiam áreas estratégicas da Administração Pública:  economia, social e ambiental.

Com dinamismo e eficiência, o gestor vai permeando a verticalizada estrutura organizacional do Estado, de ponta a ponta, otimizando a coisa pública e com foco no cidadão. E, em primeira mão, Lima anuncia com exclusividade ao Jornal do Commercio, a novidade da implementação do uso de energia solar no governo estadual. Confira!

Pedro Côrtes – Como o senhor iniciou sua carreira até a presidência da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADESAM)?

Bráulio Lima – Fui militar por cinco anos e após a saída da caserna, já formado administrador, recebi o convite para compor a equipe da Fundação Villa-Lobos e foi então, que começou minha paixão pelo serviço público. Na sequência, em 2007, fui trabalhar na Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico), onde desenvolvíamos importantes projetos, quando comecei a me apaixonar por gerenciamento de projetos.

Era um projeto piloto, voltado para a implantação de sistema de gestão da qualidade, e naquele período (2009-2010), chegamos a ganhar duas premiações, do Prêmio Qualidade Amazônica. Portanto, a paixão por projetos, desencadeou naquela fase e a partir dali, fui convidado para desenvolver outros, como o Leite do Meu Filho, desde o planejamento e implementação até a entrega ao beneficiário.

Quando voltei ao Estado, atuei na Central de Medicamentos, como responsável pelo gerenciamento logístico de abastecimento da capital e interior, e posteriormente recebi do governador Wilson Lima o convite para assumir a presidência da AADESAM, em agosto de 2019, e implementamos nove projetos novos na pasta que antes contava com apenas oito ativos dos 12 projetos da gerencia anterior, fechando o ano com 17 proposituras, de cunho econômico, social e ambiental.

PC – A mudança no nome de AADES para ADESAM foi sua sugestão?

BL – Sim. Nós sugerimos a partir de um estudo técnico, onde ressaltamos a importância em se ter, também, o desenvolvimento ambiental em nosso escopo. Até então, era Agência Amazonense de Desenvolvimento Social (AADES) e com a reforma administrativa, nós incluímos o ambiental.

PC – Ao assumir a AADESAM, quais foram suas ações implementadas para a melhoria e agilidade da instituição?

BL – Quando entramos aqui, víamos que existia uma necessidade de mapeamento do processo e padronização das nossas rotinas, isso já está sendo feito e estamos a passos largos, para construir um sistema de gestão de qualidade.

No momento em que você tem bem definido seus critérios, objetivos e metas, identificado quais são seus procedimentos e todo mundo tem ciência das suas responsabilidades, você consegue mensurar e avaliar criticamente, e até antecipar suas ações, que podem ser corretivas ou preventivas. Assim, você cria uma sistemática de aperfeiçoamento e melhoria dos processos.

Estamos construindo esse cenário que profissionaliza ainda mais, haja vista, que estamos trazendo e reforçando cada vez mais, o conceito de escritório de projetos, por meio do PMO (Project Management Office), baseado em critérios internacionais e o Pmbok (Project Management Body of Knowledge), destinado aos gerente de projetos. Essa referência nos permite construir projetos efetivamente eficazes e oportunos para a sociedade.

PC – Quais os avanços e conquistas da AADESAM, durante seu comando?

BL – A melhoria do processo; a ampliação do nosso escopo, envolvendo o desenvolvimento ambiental; a profissionalização de uma das nossas atividades, que tem sido o projeto piloto e trazido bastante credibilidade pra nós, que é o Processo Seletivo Simplificado, onde abrimos oportunidade de emprego e renda para as pessoas e ampliando a concorrência curricular.

Anteriormente, o atendimento era presencial e em filas. Daí, realizamos o atendimento por agendamento e, a pandemia nos forçou a trazer um nível maior de criatividade, onde todo o processo seletivo, agora é feito on line, ou seja, não tem mais a problemática das pessoas virem até aqui, terem dificuldade de acesso à informação e passarem horas esperando.

O Processo de Melhoria com a ampliação do nosso escopo é fantástico. Estamos fazendo agora e vamos lançar novos projetos, fortalecendo o cunho ambiental, onde vai trazer a otimização dos recursos, a exemplo de um projeto que nós temos e em primeira mão, anuncio o projeto para implementação do uso da energia solar, ainda está em fase de estudo técnico para que possa, então, consolidar e trazer os parceiros que estão envolvidos nesse processo. Este projeto trará uma economia muito grande para o Estado, e esse recurso poderá ser destinado para outras frentes. É o que posso adiantar.

PC – Como o senhor avalia o cenário socioeconômico do Estado?

BL – No período pré-pandemia, o cenário econômico estava se estabilizando. Atravessamos 2019, com um orçamento muito apertado, pois já haviam destinações próprias, definidas ainda da gestão anterior, portanto, foi um anos de sobrevivência. Então, a perspectiva para 2020 era de crescimento e com a pandemia, tudo o que estava sendo planejado para 12 meses ou para 3 anos (que é o tempo restante para a conclusão deste mandato estadual) foi necessário reconstruir.

Então, hoje, nós temos aqui um cenário ainda muito volátil, que está sofrendo vários impactos de fatores tanto internos como externos, e que em alguns momentos, impedem com que ganhemos certa velocidade, que é o dinamismo que a sociedade precisa para uma pronta resposta.

Portanto, esse é o cenário que eu enxergo e que precisa ser trabalhado agora, para que então possamos consolidar uma imagem positiva e voltar a ter um crescimento econômico e inevitavelmente, um crescimento social.

PC – Como a AADESAM tem contribuído para o desenvolvimento do Amazonas?

BL – No atual cenário temos conseguido garantir a produção, e sobretudo, no período de pandemia, garantindo o abastecimento do nosso Estado como um todo, tendo como um tripé de desenvolvimento muito forte (economia, social e ambiental), com projetos no setor primário, que têm trazido um fortalecimento e garantia de emprego e renda para os produtores. Incluímos o cunho ambiental em nossa pasta, pois, é o que é o que vamos desenvolver fortemente a partir de 2021. No cenário atual, também temos projetos voltados para um cunho mais social que são destinados às pessoas em situação de vulnerabilidade social, e contamos com a parceria da Sejuc (Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania) e da Seas (Secretaria de Estado de Assistência Social), com ações voltadas para ações de combate a violência doméstica, acesso de serviços públicos à pessoas com deficiência, entrega de alimentos para pessoas carentes e outros trabalhos com o foco humanitário e no desenvolvimento do sistema socioeducativo.

PC – Como a AADESAM vem atuando durante essa pandemia por conta do novo coronavírus?

BL – Já tivemos nesse primeiro trimestre, a oferta de mais de 650 empregos diretos, então, de uma forma geral, nós vamos na contramão desse cenário de suspensão de contratos e fechamento de empresas. Vimos fazendo ofertas de empregos para contribuir justamente com o cenário pandêmico, ou seja, nós estávamos aqui ofertando empregos para que as pessoas fossem reinseridas nessas áreas que estavam sendo afetadas.  Outra contribuição, tem sido os projetos lançados agora.

PC – Qual a contribuição estratégica da AADESAM para a Administração Pública Estadual?

BL – Num cenário de déficit orçamentário, o Estado sofre muito com a impossibilidade de lançamento de concursos, por exemplo, e nesse ínterim, os projetos elaborados pela AADESAM vem para amplificar a oferta do serviço público. E essa ampliação, vem com a complementação, que nós desenvolvemos dentro dos projetos, podendo ser feitos através de uma infraestrutura melhor, de equipamentos novos, e também, mão-de-obra especializada. Dessa forma, nossa equipe técnica, geralmente vem para auxiliar e apoiar as atividades, garantindo que o cidadão tenha acesso a um serviço público de exigência.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email