Brasileiros surpreendem em feira de alimentos no Japão

Mesmo para os empresários que estão acostumados a participar de eventos apoiados pela Apex-Brasil...

Mesmo para os empresários que estão acostumados a participar de eventos apoiados pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), a presença do Brasil na maior feira asiática de alimentos, a Foodex, foi surpreendente. O estande brasileiro ocupa um grande espaço (500 m²), em um lugar de destaque na feira. “Esta é a maior participação brasileira na Foodex. Unimos quantidade com qualidade”, ressaltou o gerente geral da Apex-Brasil, Rogério Bellini.
Bellini ressaltou que a exigência do mercado japonês é fundamental para o fortalecimento da marca brasileira na região. Para ele, ao aceitar o produto brasileiro, o japonês “diz” ao resto do mundo que tem qualidade. “Os japoneses são consumidores mais preocupados com qualidade do que com o preço da mercadoria. Ou seja, produtos com alto valor agregado são bem aceitos no mercado japonês, só é preciso investir”, disse.
As empresas brasileiras presentes ao evento, que começou nesta terça-feira, dia 11 de março e termina no dia 14, já comemoram os bons resultados. Joel Kashiwaba, representante da MN Própolis, disse que toda a produção da empresa é exportada para o Japão. Segundo Kashiwaba, que participa do estande da Apex-Brasil há cinco anos, os problemas de qualidade detectados nos produtos chineses concorrentes provavelmente garantirão um resultado ainda melhor de negócios este ano.

Imagem
positiva

Para o representante da Fruta Fruta, que vende o açaí no Japão, este ano, os visitantes demonstram um interesse muito maior pelo Brasil, principalmente por conta da exposição sobre a contribuição dos imigrantes e seus descendentes pa­ra a agricultura brasileira. Ele explicou que 30% dos japoneses conhecem o açaí, no entanto, não sabem que é uma fruta brasileira. “Com o sucesso do stand brasileiro na Feira, conseguimos uma visibilidade muito maior para nosso produto”.
Já para o Christian Lohbauer, Presidente executivo da Abef, a participação na feira é a consolidação de um mercado fundamental para o setor de frangos. Hoje, de toda a carne de frango “in natura” importada pelo Japão, 90% vem do Brasil e 50% do frango industrializado é brasileiro.
Segundo Bellini, a quantidade de empresas brasileiras no evento, que nesse ano ultrapassa 25, e o grande número de visitantes no pavilhão do Brasil é a resposta para os que não acreditam no mercado japonês. “O empresário brasileiro­ vem se especializando ca­da vez mais. Prova disto é a ampliação do espaço de nosso pavilhão e o sucesso de nossas empresas na maior feira de alimentos da Ásia”, destacou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email