Brasil participa de discussão sobre biocombustível em Washington

Um padrão internacional físico-químico para o etanol e o desenvolvimento de estudos conjuntos sobre os biocombustíveis foram discutidos durante o Fórum Internacional dos Biocombustíveis, do qual fazem parte o Brasil, Estados Unidos, União Européia, África do Sul, Índia e China. O encontro aconteceu em Washington, de 3 a 7 deste mês, com a coordenação do Brasil.
O Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abas­te­cimento), foi representado no Fórum pelo secretário de Produção e Agroenergia, do Manoel Bertone, e o diretor do Departamento de Cana-de-açúcar e Agroenergia, Alexandre Strapasson, em reuniões e outros eventos sobre o biocombustível. O fórum foi criado em março de 2007 com o objetivo de consolidar o mercado internacional de biocombustíveis, especialmente do etanol.
Na sede do USDA (Departamento de Agricultura de Estado Americano), a delegação brasileira deu andamento ao Memorando de Entendimento entre Brasil e Estados Unidos na área de biocombustíveis. A iniciativa privada também esteve presente.
Segundo o diretor do Departamento de Cana-de-Açúcar e Agroenergia, já existe uma série de cooperações técnicas e de apoio a outros países no âmbito desse memorando. “Brasil e Estados Unidos são líderes mundiais na produção e consumo de etanol e trabalham juntos na criação de um grande mercado internacional para esse combustível”, informa o diretor. O secretário e o diretor também se reuniram com o subsecretário da USDA, Mark Keenum, para tratar da comercialização de etanol entre Brasil e EUA.
Na Conferência Internacional de Energias Renováveis de Washington, realizada entre os dias 4 e 6, o secretário Manoel Bertone, como representante do governo brasileiro, falou sobre a sustentabilidade dos biocombustíveis e sobre a liderança brasileira na área de energias renováveis. A Wirec 2008 contou com a presença do Presidente George W. Bush, dentre outras autoridades, Vários eventos paralelos à conferência e feira de negócios, tiveram participação intensa do setor privado brasileiro.
Representantes do Itamaraty, Mapa, Ministério da Ciência e Tecnologia e da Unicamp também participaram do encontro da Gbep (Parceria Global de Bioenergia), nos dias 6 e 7, em que os biocombustíveis como alternativa aos combustíveis fósseis no combate ao aquecimento global foi um dos temas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email