Bovespa fecha com recuo de 0,06%, mas acumula ganho de 8,9% no mês

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) concluiu o último pregão do mês praticamente estável e mantendo um dos mais altos patamares do ano, em torno dos 67 mil pontos. O episódio Dubai ainda é monitorado pelos investidores, mas sem o nível de nervosismo da semana passada.
O Ibovespa, termômetro dos negócios da Bolsa paulista, teve leve baixa 0,06%, aos 67.044 pontos. O giro financeiro foi de R$ 8,46 bilhões.
Em novembro, a Bolsa acumulou valorização de 8,93%
A ação preferencial da Petrobras, ativo mais negociado da Bolsa, desvalorizou 0,25%, com movimento de R$ 630 milhões. Com giro de outros R$ 603 milhões, a ação de mesmo tipo da Vale teve recuo de 1,23%. O economista-chefe do banco Schahin, Silvio Campos Neto, avalia que o “episódio Dubai’’ funcionou como um lembrete ao mercado sobre os possíveis “rescaldos da crise financeira”. “Desta forma, o viés é levemente negativo para os preços dos ativos domésticos nesta semana, com o aumento do risco não sendo compensado pela expectativa de retorno no curto prazo”, comentou, no relatório semanal do banco sobre as perspectivas do mercado financeiro.
Analistas apontam ainda outros dois eventos que mexem com as expectativas dos investidores: o famoso “Livro Bege” (influente sumário da economia americana), na quarta, e o “payroll” (relatório sobre geração de empregos nos EUA), na sexta. Nos EUA, o ISM (Instituto de Gestão de Oferta, na sigla em inglês) reportou que a atividade no setor manufatureiro na região de Chicago (centro-norte dos EUA) teve expansão em novembro, em seu maior ritmo desde agosto de 2008.
No front doméstico, o boletim Focus, do Banco Central, mostrou que a maioria dos economistas do setor financeiro elevou suas projeções para o IPCA de 2010 -de 4,43% para 4,45% (ainda abaixo da meta oficial, de 4,5%).
A previsão para o crescimento do PIB deste ano foi levemente rebaixada, de 0,21% para 0,20%, enquanto a estimativa para 2010 foi mantida em 5%.
A OGX, braço petrolífero do conglomerado EBX, do empresário Eike Batista, anunciou na segunda-feira a descoberta de hidrocarbonetos no bloco BM-C-41, na Bacia de Campos. A ação ordinária teve ganho de 3,84% no pregão de hoje, sendo um papéis mais negociados (R$ 377 milhões).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email