Bosco quer manter “barração” de jornalistas

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, Bosco Saraiva (PSDB) não gostou da liberação de acesso ao plenário dos jornalistas, prevista no projeto de reformulação do Regimento Interno, entregue esta semana pela comissão especial. Ele fez um desabafo anteontem, em reunião com alguns vereadores: “Isso vai me constranger. Eu tinha beneficiado vocês. Hoje não sai mais no jornal foto de vereador acessando o Facebook, dormindo ou comendo nas bancadas. Conseguimos ter paz para trabalhar no plenário. Agora querem voltar com tudo de novo. Não posso permitir isso”. Com medo das reações contrárias, entretanto, ele está a procura de um colega que se disponha a apresentar uma emenda suprimindo o dispositivo. Dois parlamentares consultados já se recusaram, mas a busca continua.

Voto contrário

A Lei de Diretrizes Orçamentárias foi aprovada no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas na última quarta-feira (10) com o voto contrário do deputado José Ricardo Wendling (PT). Apesar de ter duas emendas de sua autoria aprovadas, ele entende que o Governo do Estado elabora a LDO sem discuti-la com a sociedade,assim como a própria Aleam (Assembleia Legislativa do Amazonas) não realiza audiências com a população para discutir o projeto. “As poucas emendas apresentadas são rejeitadas. Hoje, até aprovaram quatro emendas, sendo duas de minha autoria, como forma de acalmar os deputados de oposição. Mas isto não muda o fato de que ninguém é ouvido”.

Exemplo

A direção da Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas) deu um exemplo de civilidade nas comemorações de dez anos de existência do órgão. O governador Omar Aziz foi um dos homenageados com o diploma de Menção Honrosa conferido pelo Conselho Superior da instituição a personalidades que contribuíram para sua trajetória institucional, mas a comenda também foi entregue aos ex-governadores Eduardo Braga e Amazonino Mendes, que criaram e consolidaram a aniversariante. Lição de democracia.
Sensatez

A deputada estadual Vera Castelo Branco (PTB) fez uma declaração das mais sensatas ao discutir o projeto que autoriza o Governo do Estado a conceder remissão e isenção do IPVA para a frota de transporte coletivo de Manaus. “Não vejo como isso vai beneficiar a população usuária do transporte coletivo, uma vez que, de uma forma ou de outra, é ela que está pagando o preço ao recolher seus impostos”.

Boa medida

Para impedir que os empresários de ônibus se beneficiem indiscriminadamente do projeto, que acabou aprovado pelo plenário, os deputados José Ricardo e Sidney Leite (DEM) apresentaram emenda prevendo que, para receber o benefício, as empresas de transportes apresentem o chassi, a placa e o ano de fabricação dos ônibus, bem como encaminhem para a Assembleia, a cada quatro meses, a relação de veículos beneficiados por essa isenção. É importante saber a quantidade de ônibus beneficiados pela isenção e se esses veículos estão rodando na cidade.

Novo fundo

Na produtiva sessão de quarta-feira a Assembleia Legislativa também aprovou projeto que institui o Fundo de Aval destinado aos projetos vinculados à Secretaria de Estado de Produção Rural, nas áreas de piscicultura, aquisição de máquinas e equipamentos, ração e corretivo de solo. A iniciativa vai contribuir para o fortalecimento dos pequenos e micro negócios, além das cooperativas existentes no Estado, dando garantias de crédito junto aos agentes financeiros.

Lição

Os manifestantes que saíram do Facebook e ganharam as ruas nas últimas semanas, sem organização e abrigando vândalos entre eles podem aprender a lição que deram ontem centrais sindicais e organizações estudantis, que fizeram vários atos em toda cidade, sem nenhum registro de violência. Pode-se dizer que a experiência ajuda nessa hora. O foco também. As manifestações foram todas muito bem organizadas e focadas em temas específicos.

Primeiro ato

O prefeito Arthur Neto deu ontem o primeiro passo na direção de retirar os camelôs do Centro. Ele apresentou o projeto que prevê a criação de centros de compras em alguns dos principais bairros da cidade, inclusive na avenida Djalma Batista, para onde pretende deslocar os ambulantes. É talvez a manobra mais delicada da atual administração.

Novo barco

Pela primeira vez em muitos anos a igreja Assembleia de Deus deve desembarcar da canoa do senador Eduardo Braga (PMDB), se for confirmado o rompimento deste com o governador Omar Aziz. É que, apesar de ter um peemedebista entre seus parlamentares – o deputado Wanderley Dallas –, a instituição tem seu comandante político, o deputado federal Silas Câmara (PSD), totalmente comprometido com o projeto político do grupo que ocupa atualmente o poder. Ele e a esposa, a deputada acreana Antonia Lúcia Câmara (PSC),têm recebido todo apoio dos novos aliados para se manter nos cargos, apesar de todas as pendências judiciais.

De saída

A Secretária de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Nádia Ferreira, pediu exoneração do cargo ontem. Ela era uma das poucas remanescentes da administração anterior, mas sua saída nada teve a ver com isso. Foi realmente por motivos pessoais. Ela perdeu a mãe e o pai em um mês e teve grande desgaste emocional. Estava há sete anos no cargo, depois de substituir Virgílio Viana, que comandou o órgão no primeiro governo de Eduardo Braga.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email