Bom diálogo entre a Fetagri e a Sepror

No último dia 30, o auditório da SEPROR recebeu a Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares na Agricultura do Estado do Amazonas, a conhecida e aguerrida FETRAGRI-AM. Sempre disse que a FETRAGRI ainda não percebeu, exatamente, a força que tem, mas tem. Nos últimos anos, de forma inteligente, estratégica e correta tem se aliado à FAEA, entidade que nutro extremo respeito pela seriedade que conduz sua missão, sempre me acolheu, e que jamais fechou suas portas para defender pleitos que nem estão diretamente ligados aos seus principais objetivos. A união FAEA e FETAGRI, com apoio da OCB, UNICAFES e do Sistema SEPROR pode destravar conquistas históricas do setor primário do Amazonas. São tantos pontos convergentes que nem teremos tempo para "brigar" nos pontos divergentes. O evento do último dia 30, que contou, do início ao fim, com a presença do secretário de produção rural, Petrucio Magalhães, e de toda a sua equipe, foi o perfeito exemplo, a confirmação da existência de dezenas de pleitos convergentes, muitos já contemplados no planejamento da nova gestão da SEPROR. A pauta da agricultura familiar da FETRAGRI foi muito bem defendida pela Edjane, Altemir, Lucia, Jorge, Juma, Maria Matos, Milton, Etelvina, Adelson, Ana Nazaré, Benedito e o Ricardo. Só notei a ausência da manifestação sempre fundamentada do amigo Aldenor Barbosa, o conhecido "Pedrada". 

Demandas Apresentadas

  •    Elaboração de um Plano Safra que contemple a agricultura familiar;
  •    Ampliar a Assistência Técnica chamando os aprovados no Concurso do IDAM, entre outras parcerias;
  •    Apoio à Produção Orgânica e Agroecológica;
  •    Reativação do Conselho de Povos e Comunidades Tradicionais;
  •    Recuperação de Ramais e Vicinais;
  •    Armazenamento e abatedouro de galinha caipira;
  •    Beneficiamento da produção;
  •    Capital de Giro para os grupos formais;
  •    Acesso às tecnologias já existentes na Embrapa e INPA;
  •    Acesso ao crédito e renegociação das dívidas;
  •    Adesão ao Programa Garantia Safra;
  •    Estimulo à Juventude Rural;
  •    Realização do ZEE e do ZARC;
  •    Escoamento da Produção;
  •    Alternativas sustentáveis de energia;
  •    Construção de tanques para a piscicultura;
  •    Destino para a indústria de pescado de Maraã e de Fonte Boa;
  •    Regularização Fundiária e Licenciamento Ambiental;
  •    Capacitação de produtores e técnicos;
  •    Distribuição de sementes;
  •    Manutenção da política de subvenção;
  •    Fortalecer os programas de compras públicas;
  •    Maior acesso e regularidade no milho do Vendas em Balcão da Conab;
  •    Maior participação na PGPMBio;
  •    Fortalecer o CEDRS (Conselho Estadual Desenvolvimento Rural Sustentável);
  •    Reduzir o custo da ração para o piscicultor;

Todas essas demandas foram anotadas pelo próprio secretário de produção rural, assim como pelos representantes do IDAM, ADAF, ADS, SEPA e SEAPAF.
Sem dúvida, um grande encontro!
É por aí o caminho!

*Thomaz Antonio Perez da Silva Meirelles é servidor público federal aposentado, administrador, especialização na gestão da informação ao agronegócio. E-mail: [email protected]
 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email