Bolsas da Ásia fecham em alta com Wall Street e China

Os bons resultados em Wall Street e a negativa da China de que estivesse revendo seus investimentos em ativos europeus alavancaram os negócios na última sexta-feira do mês de maio, na maioria dos mercados da Ásia

Os bons resultados em Wall Street e a negativa da China de que estivesse revendo seus investimentos em ativos europeus alavancaram os negócios na última sexta-feira do mês de maio, na maioria dos mercados da Ásia.
As Bolsas de Cingapura, Jacarta (Indonésia), Bangcoc (Tailândia) e Kuala Lumpur (Malásia) não operaram devido a feriados locais.
Na Bolsa de Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 335,34 pontos, ou 1,7%, e terminou aos 19.766,71 pontos – na semana, o índice acumulou alta de 1,1%. O peso pesado bancário HSBC liderou o rali entre as blue chips, com elevação de 2,1%. No setor petrolífero, Cnooc avançou 2,7% e PetroChina ganhou 3,5%.
Já as Bolsas da China estiveram estáveis. A queda no setor imobiliário, com preocupações de que Pequim irá adotar medidas adicionais para desaquecer o mercado, ofuscaram os ganhos entre as petrolíferas e mineradoras por conta da alta das commodities.
A China negou que estivesse adotando medidas para conter o crescimento econômico.
O índice Xangai Composto baixou apenas 0,01% e encerrou aos 2 655,77 pontos – na semana, o índice apresentou elevação de 2,8%. O índice Shenzhen Composto ganhou 0,2% e terminou aos 1.062,78 pontos. China Vanke teve declínio de 1,3% e Poly Real Estate Group baixou 2,5%.
O yuan teve leve alta ante o dólar no fechamento, uma vez que a demanda pela divisa americana de fim de mês por importadores ofuscou largamente o efeito da queda do dólar ante o euro.
No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8313 yuans, de 6,8315 yuans do fechamento de quinta-feira.
Os ganhos nos demais mercados regionais alavancaram a Bolsa de Taipé, em Taiwan.
O índice Taiwan Weighted subiu 0,7% e fechou aos 7.295,32 pontos. No setor tecnológico, Hon Hai Precision caiu 1,2%, mas Acer avançou 6,9% e AU Opto ganhou 2%.
Na Coreia do Sul, a diminuição das preocupações com a dívida europeia possibilitou a terceira alta consecutiva na Bolsa de Seul, onde o índice Kospi fechou com elevação de 1%, terminando aos 1.622,78 pontos.
Com a alta do petróleo, SK Energy disparou 7% e S-Oil subiu 3,6%.
Na Bolsa de Sydney, na Austrália, o índice S&P/ASX 200 chegou à máxima de oito dias, com alta de 1,8% e total de 4.457,49 pontos
O setor financeiro puxou a elevação, mas as ações defensivas ficaram abaixo do desempenho do mercado.
O governo australiano invocou poderes de emergência para deflagrar uma campanha publicitária em defesa de sua proposta de taxar em 40% os “superlucros” das mineradoras. BHP Billiton avançou 0,12% e Rio Tinto, 1,17%.
Nas Filipinas, o índice PSE da Bolsa de Manila somou 3% e fechou aos 3.252,63 pontos, ainda sob efeito da divulgação de um crescimento do PIB acima do esperado no primeiro trimestre.
Apesar de estarem cfechando em alta, a maioria das bolsas de valores internacionais ainda se preocupam com a crise na Grécia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email