BNDES pode trazer força para a bioeconomia no Amazonas

O Estado tem possiblidades de conseguir novos investimentos. O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Gustavo Henrique Moreira Montezano, demonstrou interesse em identificar potenciais áreas para liberação de créditos e financiamentos na região.

Ele e sua comitiva de técnicos estiveram, ontem, com o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC). No encontro, Montezano ressaltou que o banco quer mais aproximação com a Região Norte.

“É aqui que conseguimos fazer as ações do banco terem um impacto social e ambiental”, disse ele. “Meu objetivo é ajudar, onde quer que seja, para que o banco ajude a região a se preparar para receber o recurso, não é uma agenda de curto prazo”, acrescentou o executivo.

O governador Wilson Lima disse que existem grandes potencialidades para novos investimentos do BNDES, principalmente com projetos que preservem a rica biodiversidade. “Temos 97% do território preservado, como a natureza nos deu. E ainda detemos a maior reserva de gás natural do planeta”, afirmou ele.

De acordo com o governador, o Amazonas lançou o plano Safra 2021/2022 com investimentos de pelo menos R$ 1 bilhão para o setor primário. E mencionou também o potencial das atividades da pecuária regional, acrescentando que municípios localizados ao sul do Estado vão receber o reconhecimento internacional como Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação.

“Temos vários segmentos que poderão acessar os novos investimentos do BNDES”, disse o governador do Amazonas. Segundo ele, o maior desafio no Estado é mostrar ao mundo ser possível promover o desenvolvimento regional de forma sustentável, preservando a floresta. “São muitas as potencialidades de investimentos na região e em diferentes áreas”, frisou.

Disponibilidade

Para o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, o Amazonas é o Estado adequado para novos investimentos e grandes potencialidades de crescimento econômico, associado a projetos que  não destruam a natureza.

“Aqui, a gente tem um potencial muito grande de crescimento – seja pela indústria, pelo primeiro setor, como também desenvolvimento de cadeias produtivas sustentáveis como a bioeconomia, os próprios serviços ambientais como o crédito de carbono”, afirmou Taveira.

Henrique Montezano disse que há disponibilidade de recursos. Os créditos só serão liberados para quem atender às exigências do banco. “É necessário preparar o terreno para que esses investimentos possam aterrissar de maneira concreta para beneficiar empresários e comunidades”, explicou  o presidente do BNDES.

O secretário Eduardo Taveira defende que o Amazonas participe ativamente para viabilizar esses novos créditos. “Então, numa primeira sondagem é importante que o governo se empenhe  efetivamente em novas medidas porque seremos beneficiados com essa quantidade de recursos esperados para o desenvolvimento de novas alternativas econômicos na”,  avaliou o secretário.

Ontem, o presidente do BNDES e sua comitiva fariam uma visita às unidades de conservação no Estado para acompanhar investimentos em cadeias produtivas extrativistas, segundo a assessoria do governo do Amazonas.

Foto/Destaque: Miguel Ângelo

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email