Blockbuster aproveita para driblar pirataria

De todas as empresas expositoras da feira de produtos e serviços de recursos humanos, a mais inusitada é a Blockbuster, já que seus produtos e serviços não estão ligados diretamente ao que se propõe o evento. “Estaremos abertos às empresas que queiram convênios, embora nosso objetivo seja mesmo associações de pessoas físicas”, afirmou o franqueado local Humberto Mello.

De acordo com o empresário, a projeção é associar mil pessoas nesses dois dias. Serão oferecidos três planos, sendo o primeiro de R$ 28,90, que dará direito a 12 filmes por mês, o segundo é de R$ 69,90, com direito a 30 filmes, e outro de R$ 149,90, com direitos ilimitados. A quantidade de filmes dos dois primeiros planos não é cumulativa.

Concorrência com piratas
Mello explicou que embora o número de clientes esteja em expansão, houve uma retração de 8% no faturamento no período de janeiro a setembro ante igual período de 2006. “As pessoas alugavam até cinco filmes, e hoje em geral levam apenas um”, disse.

Mello ainda explicou que o principal motivo é a concorrência dos produtos pirateados. “O usuário de droga a compra com receio, enquanto que o consumidor da pirataria não tem receio algum. É uma prática legitimada pela sociedade e a gente perde muito com isso”, completou o empresário.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email