13 de abril de 2021

BB mantém taxas mais competitivas que sistema

O novo presidente do BB (Banco do Brasil), Aldemir Bendine, afirmou ontem, durante teleconferência para analistas, a intenção da instituição financeira em ser agressiva na concessão de crédito

O novo presidente do BB (Banco do Brasil), Aldemir Bendine, afirmou ontem, durante teleconferência para analistas, a intenção da instituição financeira em ser agressiva na concessão de crédito. “Para um banco que vai buscar ser mais agressivo em 2009, é natural que cobre taxas mais competitivas que o resto do sistema financeiro – e isso é histórico no BB. Isso vai ser mantido. Vamos procurar trabalhar dentro de uma condição técnica razoável, manter o acompanhamento da queda da taxa de juros no Brasil e compensar essa queda do spread –que já esperada ao longo de 2009– com uma atuação mais incisiva”, disse Bendine, que assume o cargo dia 23 de abril no lugar de Antonio Francisco de Lima Neto.
Ainda assim, Bendine fez questão de ressaltar que nada muda nas premissas de avaliação de risco e concessão de crédito. “Sabemos que 2009 será um ano ainda mais desafiador. Todavia, trabalharemos para transformar essas ameaças em oportunidades. Nossos planos de crescimento estão mantidos, tendo a excelência do padrão das práticas bancárias do BB como condição básica da sua execução. Nada muda nas nossas premissas de avaliação de risco e concessão de crédito. Nosso foco é e sempre será proteger a rentabilidade da carteira de crédito”, disse Bendine, durante a teleconfência.
O novo presidente do BB disse que é seu compromisso manter o BB nessa sucessão de crescimento sustentável, ou seja, com responsabilidade e qualidade, no mais alto grau de transparência. “Para atingir esse compromisso, queremos aproveitar as oportunidades que surgirem no mercado de crédito, tanto na pessoa física, com os segmentos de consignado, veículos, imobiliário, quanto na pessoa jurídica, por meio de parcerias com grandes empresas e reforçar ainda mais a atuação junto a pequenas e médias. Vamos manter fielmente nossa participação no agronegócio brasileiro, bem como no comércio exterior. Nos negócios com seguridade e cartões, queremos expandir ainda mais nossa participação no mercado. Trabalharemos na absorção das sinergias das últimas aquisições”.
Já Lima Neto, em tom de despedida, destacou as principais conquistas em sua gestão e afirmou que Bendine está inserido nas principais agendas que o Banco do Brasil está levando adiante “Tenho certeza que fará um bom trabalho à frente do banco”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email