Bayer CropScience lança programa de manejo integrado contra lagarta-do-cartucho

A lagarta-do-cartucho é uma das pragas mais difíceis de ser controlada atualmente na cultura do milho, atingindo a planta desde a sua emergência até a formação de espigas. As perdas geradas por esta praga podem reduzir a produção em até 25%. As causas da dificuldade no controle da lagarta-do-cartucho são o manejo tardio da praga e a escolha inadequada de produtos. É importante que o manejo seja iniciado antes mesmo do plantio. Tendo em vista todos os problemas atuais de manejo com esta praga, a Bayer CropScience traz uma novidade aos produtores do milho: o Programa contra a lagarta-do-cartucho, que possibilita o manejo integrado da praga.
Este programa foi elaborado na safra passada a partir dos excelentes resultados alcançados pela adoção de três soluções nos campos, diante da dificuldade crescente dos agricultores no manejo desta praga e dos expressivos danos que ela tem causado. “Este programa é uma ferramenta importantíssima para o produtor de milho, pois ano a ano as perdas na lavoura são consideráveis, e todo o investimento na cultura corre risco se o manejo da lagarta-do-cartucho não for efetuado de maneira correta”, explicou o gerente do portfólio de inseticidas da Bayer CropScience, Mauro Alberton.
Dentro do Programa contra a lagarta-do-cartucho, a Bayer CropScience oferece soluções inovadoras que podem proporcionar resultados diferenciados no controle desta praga. Entre elas está o CropStar, único inseticida do mercado voltado para o tratamento de sementes na cultura do milho e que apresenta excelentes resultados no controle da lagarta-do-cartucho. O produto oferece proteção desde o princípio do desenvolvimento da planta contra a praga, favorecendo seu crescimento inicial mais rápido.
Nas próximas fases, a dupla de inseticidas Larvin e Certero proporciona proteção às plantas, evitando o dano e a entrada da praga nas lavouras. Estes produtos têm o maior efeito de choque e maior período de proteção, além de efeito ovicida e seletividade aos inimigos naturais.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email