Base aliada articula presidência e relatoria

A base aliada no Senado não pretende ceder a presidência da CPI da Petrobras à oposição. Mesmo com a disposição do DEM de colocar na presidência o senador Antônio Carlos Magalhães Júnior (BA), que tem perfil “moderado”, os governistas vão brigar para ficar com os dois cargos de comando da comissão: A presidência e relatoria da comissão.
“Quem pediu a CPI foi a oposição. Então eles vão lá e coloquem pessoas para investigar. Daí a você fazer acordo para entregar posições na CPI é diferente”, disse o senador Gim Argello (PTB-DF), um dos principais articuladores dos governistas na CPI da Petrobras.
Informalmente, senadores da base aliada do governo haviam se mostrado dispostos a ceder a presidência da CPI a ACM Júnior. O Palácio do Planalto, no entanto, entrou em campo para evitar que o DEM ou o PSDB fique com o comando da comissão.
Reportagem da Folha publicada nesta terça-feira afirma que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ao líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), que não faça nenhum acordo para ceder à oposição a presidência da CPI da Petrobras.
Lula solicitou que a presidência e a relatoria, os dois cargos mais importantes da CPI, fiquem com aliados do Planalto no Senado. Renan teria concordado.
Na semana passada, Renan aventou, nos bastidores, fazer um acordo para que o senador ACM Jr. (DEM-BA) ficasse com a presidência e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ficasse com a relatoria.
Em ano pré-eleitoral, o presidente não quer deixar o comando de uma CPI que considera inconveniente e com potencial explosivo nas mãos de um oposicionista. Lula e Renan se reuniram ontem na sede provisória da Presidência, no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil). Os dois conversaram por meia hora.
Os líderes partidários têm até o final do dia de hoje para indicar os integrantes da CPI da Petrobras. As conversas prometem avançar nos bastidores ao longo desta terça-feira, embora oficialmente os governistas afirmem que ainda não negociam o comando da comissão.
“O Brasil, por ter economia forte, está passando ao largo dessa crise. E estamos pegando a maior empresa desse país, a segunda mais rentável do mundo. Isto nós temos que ter muita atenção. Temos que ter muito cuidado, é dever do Senado fiscalizar, mas com muita atenção”, disse Argello. O DEM e o PSDB devem reunir suas bancadas no início da tarde para criticar a disposição do governo em centralizar a presidência e a relatoria da CPI. A oposição argumenta que, como responsável por pedir a criação da comissão, tem o direito de ficar com a presidência da CPI da Petrobras.
Alguns governistas argumentam, por outro lado, que a oposição perdeu a chance de negociar depois que rompeu o acordo firmado na semana passada de suspender a instalação da CPI no Senado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email