Basa investe R$ 833 mi na Amazônia

A Amazônia Legal é beneficiada com R$ 833 milhões em projetos destinados à agricultura familiar em todos os Estados. O montante representa 55% a mais do que a meta de R$ 530 milhões em financiamentos proposta pelo MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) para o período de execução do Plano Safra, que iniciou em 1º de julho de 2012 e terminou no último dia 30 de junho.
O programa é voltado ao atendimento de produtores que se enquadram no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), principal política de crédito oferecida pelo MDA, destinado ao financiamento de projetos individuais ou coletivos de geração de renda a agricultores familiares e assentados da reforma agrária, que têm, no programa, inúmeras vantagens, com destaque para as baixas taxas de juros dos financiamentos rurais.
Do total dos R$ 833 milhões aplicados, o Banco da Amazônia destinou R$ 295,5 milhões para os Estados do Pará e Amapá, representando 25,91% do total dos valores disponibilizados no ano safra 2012/2013, sendo que, somente ao Pará, foram carreados R$ 280 milhões. Em seguida, na ordem dos financiamentos, vieram os Estados do Amazonas e Roraima, com R$ 209,4 milhões (25,12%); Rondônia, com R$ 128,3 milhões (15,39%); Tocantins, com R$ 95,3 milhões (11,44%); Maranhão, com R$ 8,5 milhões (1,03%); e Mato Grosso, com R$ 5 milhões (0,6%). Para os Estados nortistas, os recursos vieram do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), já para os Estados no Maranhão e do Mato Grosso saíram do Orçamento Geral da União (OGU).
Ao todo, foram beneficiados 63.810 produtores, sendo 23.669 dos Estados do Amazonas e Roraima; 19.051 do Pará; 8.236 do Acre; 4.777 de Rondônia; 3.554 do Tocantins; 2.768 do Maranhão; e 1.755 do Mato Grosso. Os produtores utilizaram todas as linhas de crédito do Pronaf, a exemplo do Custeio, que financia atividades agropecuárias e de beneficiamento, industrialização e comercialização da produção própria ou de terceiros; Investimento (Mais Alimentos), para o financiamento de máquinas, equipamentos e infraestrutura; Mulher para investimentos de atividades agropecuárias, turismo rural, artesanato e outros para o meio rural; e o Jovem, para jovens agricultores e agricultoras, para produção e serviços nos estabelecimentos rurais.

Próximas metas

Como próximo desafio, o Banco da Amazônia tem como meta para o novo Plano Safra – 2013/2014 aplicar R$ 600 milhões em toda a Amazônia Legal, priorizando a aplicação dos recursos no PRONAF Mulher e em Tecnologias Inovadoras que garantam o aumento da produtividade e, uma vez mais, assegurar o desenvolvimento dos agricultores familiares, que são responsáveis por pelo menos 70% dos produtos que chegam à mesa do brasileiro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email