Basa firma acordo com o Estado para oferecer R$ 700 mi a arranjos produtivos

Um protocolo de intenções entre o Banco da Amazônia e o governo do Estado foi assinado na manhã da última quinta, 25, no auditório da sede da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), pelo presidente da instituição financeira, Abdias José de Souza Junior, o governador do Estado Eduardo Braga e o presidente da Fieam, Antônio Silva. O acordo de cooperação tem por objetivo dar aporte para projetos de arranjos produtivos locais e oportunidades de negócios sustentáveis, com disponibilidade de crédito de R$ 700 milhões, somente no Amazonas.

O presidente do Banco da Amazônia ressaltou a importância do Estado frente à região Norte visto que, dos outros nove que receberão o recurso, o Amazonas é um dos que terá mais crédito disponível, ao lado do Pará. Ao todo, serão disponibilizados R$ 3 bilhões para os nove Estados amazônicos. “Esse protocolo de intenções visa à junção de esforços entre o banco e o governo, para que possamos identificar oportunidades de utilização deste crédito no Amazonas. Caso aconteça uma demanda maior do que a esperada, nós remanejaremos recursos de outras localidades para cá”, destacou o presidente do banco.

Para a agricultura familiar estão previstos R$ 50 milhões, já para as micros e pequenas empresas o montante é de R$ 30 milhões. “Nossa intenção com este documento é trabalhar todos os segmentos, desde a agricultura familiar, micro empreendimentos, empresas de pequeno, médio e grande porte, como as indústrias. Projetos de todas essas áreas são bem-vindos e podem ganhar recursos”, explicou Abdias. Os setores de saúde particular e educação ganharam destaque na conversa entre o presidente do banco e o governador.

Abdias destacou que os segmentos da construção civil, entretenimento e cultura, hotelaria e beneficiamento de frutas e polpas, entre outros, serão focados nos planos de crédito. “Existe uma enormidade de projetos apoiados financeiramente pelo Banco da Amazônia, atualmente, como hotéis e shoppings”, disse. O presidente do Basa explicou também que as pessoas jurídicas interessadas no financiamento junto à instituição precisam se enquadrar nas seguintes condições: viabilidade econômica e financeira do projeto, garantias reais, cadastro sem restrições, licença ambiental e fundiária, legalidade do terreno onde a empresa se instala e aplicação de recursos próprios.

Elogios ao Basa

O governador Eduardo Braga elogiou à atuação do banco na região. “O Basa possui um leque enorme de operações e passou a ter um papel extraordinário como alavanca da economia amazonense”, declarou. O governador enfatizou ainda a importância do incentivo e valorização de negócios que possuem mulheres como administradoras, principalmente nas micro e pequenas empresas e na agricultura familiar.

Projetos de infraestrutura ganharam a atenção de Braga, que articulou a importância de investimentos no turismo, principalmente no aeroporto internacional da cidade. “Ano passado, 2,3 milhões de pessoas passaram por Manaus, através do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. Com a proximidade da Copa de 2014, este número vai aumentar consideravelmente e o nosso aeroporto não tem capacidade física para comportar esta demanda”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email