Barco de atendimento médico vai ao interior

O barco Zona Franca Verde, integrante do programa PAI (Pronto Atendimento Itinerante) do governo do Estado, iniciou na última quarta-feira uma viagem de seis meses aos municípios das calhas do Japurá e do Médio Solimões. O barco vai permitir que a população do interior continue a ter acesso aos serviços de saúde, previdência e bancários, além de emissão de documentação básica. Paralelamente, os barcos Puxirum I e II também estarão em missões nas calhas do Juruá e do Purus.
Neste ano, pela primeira vez, desde 2003, as três embarcações do programa estadual navegarão simultaneamente pelo interior. Pelo calendário do Zona Franca Verde, que foi totalmente reestruturado, 42 pontos, entre comunidades rurais, indígenas e sedes, de 12 municípios devem ser atendidos até meados de dezembro. Segundo o gerente de Cidadania da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas), que coordena o programa, Eduardo Lucas da Silva, as consultas médicas e odontológicas são os principais serviços oferecidos.
Desde o fim de abril, os barcos Puxirum I e II cumprem a missão de percorrer 50 localidades de 13 municípios do Amazonas. Balanço parcial da Seas dá conta de mais de 70 mil atendimentos realizados, que beneficiaram 23 mil pessoas até o momento. Ambas as embarcações tiveram intervenções reestruturais nos espaços internos e ganharam novos equipamentos. Em abril, o PAI realizou 7.358 atendimentos socioassistenciais, 4.897 de saúde, além de ter expedido 1.346 documentos e ter concedido 67 benefícios previdenciários. Em maio, estatísticas do PAI registram aumento no número de serviços disponibilizados: 28.095 atendimentos socioassistenciais, 22.287 atendimentos em saúde, 154 benefícios previdenciários concedidos e 6.063 documentos expedidos.
O vice-governador, José Melo, que acompanhou os últimos preparativos para a viagem do barco Zona Franca Verde, enfatizou a importância da embarcação e do trabalho desenvolvido a partir dela para o sucesso das ações na área social implementadas no interior pelo governo do Amazonas. “É o braço social do nosso governo se estendendo para o interior de forma concreta porque o barco vai equipado com profissionais e instrumentos necessários para cumprir plenamente o papel de levar cidadania para o interior”, destacou.
Equipes multiprofissionais – As embarcações são dotadas de equipes multiprofissionais com clínico geral, odontologista, oftalmologista, ortopedista e enfermeiro, que realizam, em média, 60 consultas diárias. “A pessoa entra, é consultada e receitada, passa na farmácia e recebe o remédio, tudo dentro do barco”, explica Eduardo, informando que os barcos também fazem distribuição de medicamentos. Em tempos de elevação dos níveis dos rios amazônicos, o gerente da Seas afirma que o PAI tem atuado, em especial, na prevenção e combate às enfermidades provocadas pelas cheias. A novidade, neste ano, foi a inclusão de agências do Banco do Brasil no projeto social. A intenção é proporcionar maior conforto e facilitar o acesso onde não há esse tipo de atendimento”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email