Banco do Brasil quer aumentar sua participação no mercado de seguros

O Banco do Brasil está reestruturando a sua área de seguros, com o objetivo de aumentar a participação do segmento no resultado final da instituição.
Atualmente, o segmento de seguros responde por 12% do lucro do BB, ante 30% do Bradesco Seguridade. A meta, entretanto, é atingir 20% no médio prazo, ou seja, no período de quatro anos.
A área de seguros do BB foi montada há cerca de 14 ou 15 anos e buscava unir a ação comercial com a busca de tecnologia. A estrutura é formada por várias empresas que atuam em nichos específicos. São elas a Brasilprev (previdência), Brasil Veículos (seguros de automóveis), Aliança do Brasil (vida e ramos elementares), Brasilcap (títulos de capitalização) e Brasil Saúde (seguro de saúde).
“Na nossa visão, existem experiências no mercado mais modernas e eficientes. O que a gente está buscando é uma maior eficiência do conjunto de empresas em que a gente atua”, disse ontem o vice-presidente de Finanças do Banco do Brasil, Ivan Monteiro.
Monteiro relatou que estão sendo discutidas várias possibilidades, mas ainda não há um modelo definido. O que existe de concreto é a decisão de fortalecer a área de seguro para elevar sua participação no resultado do banco. Ele afirmou que no primeiro semestre de 2009, o grande destaque foi o crescimento das operações de crédito, cuja carteira total somou R$ 252 bilhões.

Maior competição

Neste segundo semestre, ele disse que o consenso é de que o Brasil vai crescer. Logo, a competição na área de crédito vai aumentar bastante, por dois motivos: retorno dos competidores e crescimento das operações do mercado de capitais.
“Essas operações, que envolvem debêntures e notas promissórias, são um concorrente natural do crédito”, avaliou Monteiro. “Isso é muito bom para o cliente. O maior beneficiário desse processo serão os indivíduos e as empresas”, afirmou.
Monteiro crescentou que a maior competição vai ocasionar uma pressão no spread (diferença entre o custo de captação de recursos pelos bancos e o que eles cobram nas operações de empréstimo ao consumidor).

Indutora de negócios

Para preservar a rentabilidade global do banco, o BB tende a aumentar a participação de outras áreas, como a de seguros. Como esse segmento tem uma correlação forte com o PIB (Produto Interno Bruto – soma das riquezas produzidas no país), Monteiro a considera uma área indutora de negócios.
O vice-presidente não confirmou, entretanto, as notícias de uma possível associação do Banco do Brasil com outras empresas, entre as quais a Sul América Seguros, como vem sendo noticiado pela imprensa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email