Banco de dados tem novas ferramentas

O SiON (Sistema de Indicadores On-line de Ciência, Tecnologia e Inovação) ganhou novas ferramentas para dar mais transparência e ampliar o número de indicadores de CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação) do Amazonas. O sistema é do governo do Estado e gerenciado pela SECTI-AM (Secretaria de Estado de CT&I) e financiado pela Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas). Na nova versão o sistema passou a contar com menu mais interativo, notas técnicas mais completas, revisão e inclusão de novos indicadores.
O SiON é uma plataforma de informações que permite avaliar a atuação das agências de fomento, das instituições de CT&I e acompanhar os investimentos e a utilização dos recursos públicos no Estado do Amazonas nessa área. O sistema é pioneiro no país e foi desenvolvido em parceria com a Ufam (Universidade Federal do Amazonas). As informações são disponibilizadas na forma de gráficos e tabelas que possibilitam a análise da alocação de recursos, bem como monitorar o desempenho do sistema público estadual de ciência, tecnologia e inovação.

MÓDULO

Moisés Coelho, chefe do Departamento de Relações Interinstitucionais e Indicadores de CT&I, da Secretaria, explicou que os novos indicadores e os revistos estão agrupados em quatro módulos. Um sobre a Fapeam com 17 indicadores como despesas com bolsas, número de bolsas concedidas e propostas contratadas e pagas.
Outro módulo é chamado de CNPq, sigla para indicar Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Nesse segundo módulo, são seis indicadores, entre eles número de artigos completos publicados em periódicos, número de livros publicados e número de capítulos de livro publicados.
Há um terceiro módulo chamado indicadores compostos. Nele, há a comparação entre diferentes indicadores como a relação entre propostas qualificadas e propostas submetidas. Ao todo, nesse módulo, há dez indicadores. O quarto módulo é sobre os dispêndios em C&T. Segundo Moisés, esse é o único da nova versão do SiON que ainda não está disponível. “O lançamento dos dados é manual e necessitará de mais um tempo”, justifica.
A maioria dos indicadores é gerada a partir de informações de sistemas automatizados de procura e captura em banco de dados de outras plataformas. As fontes dos dados do SiON são o Sigfapeam (Sistema de Gestão da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas) e informações disponibilizadas na internet por outras instituições de gestão da CT&I (CNPq, CAPES, INPI e IBGE).
“Com esses indicadores o SiON se torna um sistema mais completo de indicadores de CT&I. Esses novos indicadores aliados aos anteriores dão uma visão mais completa do Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas”, declarou Moisés.
O Sistema reúne dados de toda a década de 2000 e parte da década de 2010 (até 2012). “No caso dos dados da Fapeam, já apresenta dados de 2013, das atividades da fundação. No caso da produção científica e tecnológica o SiON apresenta dados desde 1959 a partir da extração das informações dos pesquisadores cadastrados no Sigfapeam e na Base Lattes do CNPq”, explicou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email