Bancários paralisam atividades em Roraima

Os bancários de Boa Vista (RR) paralisam as atividades nas agências nesta sexta-feira, em manifestação contra a proposta lançada pelos banqueiros para a categoria. Hoje, durante assembléia geral, os funcionários dos bancos discutem o reajuste salarial de 4,82% apresentado pelos patrões. O percentual está abaixo da metade do repasse proposto pela categoria, durante as rodadas de negociações, cujo valor era de 10,30%.
De acordo com dados do Sindicato dos Bancários de Roraima, os banqueiros resolveram ainda manter a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) nos moldes do ano passado, cujo acordo era de 80% do salário acrescido do valor do contracheque, hoje em R$ 828. A cifra pode ser paga em duas vezes, sendo a primeira parcela até dez dias após o fechamento do acordo coletivo e a segunda, até 2 de março.

Para a presidenta do sindicato da categoria, Andréa Vasconcelos, depois de um mês de negociações, a contraproposta apresentada pelos empresários é vergonhosa. “O que eles (banqueiros) querem pagar de PLR não chega a 5% do lucro dos bancos em 2006. A nossa meta era receber pelo menos entre 10% e 15% da lucratividade, o que daria uma média de R$ 3.500 para cada funcionário, tranquilamente”, afirmou a sindicalista.
O valor calculado para a PLR é mais que justo, na opinião de Andréa. “São os trabalhadores que geram o lucro dos bancos”, argumentou.

Trabalhadores querem aumento de 10,30%

Segundo informações do sindicato dos bancários, a proposta do reajuste salarial de 10,30% foi calculada com base na inflação, cerca de 4%, mais ganho real previsto pela categoria, aproximadamente 5,5%. No último acordo coletivo de 2006, o reajuste foi de 3,5%, bem abaixo do estimado.
Conforme Andréa Vasconcelos, outra proposição dos bancos é pagar a 13ª cesta alimentação aos funcionários, no valor de R$ 240. “A reivindicação dos bancários era R$ 380 e por isso vamos continuar lutando”, disse a sindicalista, acrescentando que a orientação do comando nacional de negociação é reprovar a contraproposta dos banqueiros.
 
Retorno Social

Além do movimento interno dos funcionários dos bancos, ou seja, manifestações por melhorias para a categoria, a presidenta do sindicato informou que os sindicalizados estão travando discussões ainda para benefícios voltados à sociedade. “Entre as nossas reivindicações, está a ampliação do horário de atendimento, contratação de mais trabalhadores, de forma a se adequar a lei das filas, que prevê atendimento, ao máximo, em 30 minutos”, explicou a sindicalista.

Na opinião de Andréa Vasconcelos, as agências bancárias têm que investir em responsabilidade social. “Hoje, eles (os bancos) acumulam cifras de R$ 6 bilhões, a exemplo do Bradesco, no último ano, e não disponibilizam melhores serviços à sociedade, que, afinal os mantém com as tarifas e taxações pagas pelos serviços”, justificou.
Segundo o sindicato, a idéia é parar as atividades na sexta, com vistas a conseguir algumas alterações na proposta lançada pelos banqueiros. A meta dos sindicalizados é agendar nova conversa na próxima semana.

Participação ativa

O Sindicato dos Bancários de Roraima está desde o dia 11 deste mês com a campanha nacional por melhorias para o setor, tanto para as cláusulas de cunho econômico quanto sociais.

 Andréa Vasconcelos disse que, o lucro dos bancos é construído com a participação de cada bancário, quando este inicia uma conta, vende seguros ou faz qualquer operação financeira que gere renda à instituição. “Seria uma forma de reconhecimento por parte dos banqueiros de que os resultados também são frutos das negociações do bancário”, afirmou.a presidenta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email