Pesquisar
Close this search box.

Balanço consolida Parintins como motor econômico no Amazonas

O Festival Folclórico de Parintins se consagra como um motor econômico no Amazonas. Realizada de 28 a 30 de junho de 2024, a 57ª edição do evento superou as expectativas. Pelo menos 160 mil turistas estiveram na terra dos bumbás Caprichoso e Garantido para assistir ao espetáculo que encanta no meio da selva amazônica, expandindo sua alegria e magia por todo o mundo.

Só de barcos, mais de 80 mil pessoas deixaram Manaus, sem contar viagens não registradas oficialmente. Tanta invasão transformou o cotidiano daquele município amazonense (distante 369 quilômetros da capital), acostumado a calmarias em outras épocas, mas que atinge o seu ápice de turistas por ocasião das festividades, hoje famosas mundialmente.

No ano passado, os festejos movimentaram aproximadamente R$ 160 milhões, ligeiramente ultrapassados pelos mais de R$ 200 milhões registrados neste período (números estimados pelos órgãos oficiais). Em 2023, o total de turistas alcançou aproximadamente 140 mil pessoas.

Em três dias de festival, o balanço aponta para a geração de 2,4 mil empregos diretos e 24 mil indiretos. Negócios informais, que costumam aumentar antes e durante o espetáculo, podem elevar esses números para 35 mil novos postos de trabalho.

O Caprichoso saiu vitorioso em 2024, conquistando o seu terceiro campeonato consecutivo. Mas nada diminui o ímpeto  de seu rival Garantido a seguir adiante, apostando em uma vitória em 2025.

O governo do Amazonas montou uma infraestrutura moderna para recepcionar os visitantes. Até drones e outros recursos digitais foram utilizados para dar mais segurança à cidade, dada a magnitude das belas apresentações dos bois, recheadas de alegorias arrojadas e refinadas, cadenciadas pelas toadas e danças de mulheres amazônicas, como ninfas que saem como que por encanto do meio das florestas.

Centenas de policiais e agentes estiveram de prontidão para defender um público diversificado, originário praticamente de todas as regiões do País e do exterior.  O misto de temáticas das culturas indígenas e caboclas deram o colorido dos delírios que explodiram no Bumbódromo, que foi pequeno para tanta gente, motivando o Estado a elaborar um novo projeto para expandir o principal palco de espetáculos dos bumbás de Parintins.    

Celebridades do Brasil e estrangeiras estiveram na ilha para assistir à festa, além de políticos, empresários e outros aficionados, que se dividem entre as cores vermelha e azul, os ícones pelos quais se debruçam as torcidas organizadas em Parintins, onde as paixões e encantos explodem em plena noite, a cada apresentação de Caprichoso e Garantido.

“Com certeza, o festival foi um sucesso. Este ano, foi atípico, o que nos leva a pensar em expandir a infraestrutura logística da cidade. E já estamos trabalhando para dar mais condições a um evento cultural que alcançou uma proporção gigantesca, ultrapassando as dimensões geográficas do Amazonas e do Brasil”, avalia o governador do Amazonas, Wilson Lima (UB), sem disfarçar o entusiasmo pela repercussão positiva na economia e no polo turístico movimentado nesta época de festas juninas.

O governo federal destinou R$ 10 milhões para o evento, outros R$ 2 milhões vieram da Petrobras e dos Correios, incluindo aportes financeiros do Estado. O presidente da Amazonastur, órgão responsável pelo segmento, Ian Ribeiro falou de suas impressões sobre a edição deste ano, com base no balanço das festividades. “O turismo pode se tornar uma das maiores matrizes econômicas do nosso Estado. E Parintins é um exemplo disso. O turista sai da ilha encantado”, ressaltou.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, também não disfarçou sua admiração pelo Festival de Parintins. “Meu coração está transbordando de alegria e felicidade, por dar esse apoio histórico ao evento. Quem já vivenciou essa incrível manifestação cultural, sabe da grandiosidade do nosso folclore amazônico que movimenta enormemente a economia do Estado, gerando empregos e renda”, afirmou ele.

Influência positiva

Lembremos que o Festival de Parintins ganhou maior visibilidade e importância com a participação da  cunhã-poranga Isabelle Nogueira no ‘Big Brother Brasil’, terceira colocada no reality exibido pela Rede Globo. Porém, as opiniões divergem.

Especialistas dizem que os bumbás já vêm angariando fãs há décadas, além do Amazonas e do Brasil. E que Isabelle só veio mais colaborar para a consagração de uma festividade sem similar, reunindo toda a mitologia indígena e o sincretismo cultural engendrado pelos colonizadores destas terras.

A enfermeira Marley Idalgo veio de longe para ver o festival em Parintins, um sonho acalentado há muitos anos. “Já viajei por vários países. E, na primeira oportunidade que tive, vim ao Amazonas para ver o espetáculo de Caprichoso e Garantido”, contou. Natural do Rio de Janeiro (capital), ela não escondeu a sua preferência pelo azul. “Que me desculpem os ‘vermelhos’, mas o Caprichoso pulsa em meu coração”, acrescentou, com muita emoção.

Contrário, o marido Hamilson Palmeiras diz ser um fã de carteirinha do Garantido. “É o boi do povão, aquele que incrusta todas as peculiaridades e tradições da população mais envolvida nas festividades. O Caprichoso também é lindo, mas não reflete a paixão da maioria pela festa”, concluiu.

Campanha por viagem mais segura

 A Arsepam (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Delegados e Contratados do Amazonas) fez um balanço da operação ‘Viagem Segura: Parintins 2024’. Segundo o órgão, houve um aumento de 32% no fluxo de passageiros em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre 24 de junho e 1º de julho, o transporte hidroviário intermunicipal contabilizou 78.431 passageiros com destino a Parintins (a 369 quilômetros de Manaus).

Em comparação com 2023, quando 59.162 passageiros foram registrados, o aumento foi de 32%. A Arsepam, responsável pela coordenação e fiscalização do transporte hidroviário, realizou 187 fiscalizações, com uma média de 400 passageiros por embarcação.

As fiscalizações começaram no dia 24 de junho em Manaus e no dia 25 de junho em Parintins, continuando até 1º de julho em ambos os municípios. Em Manaus, os trabalhos ocorreram no Porto de Manaus, nas balsas da Manaus Moderna e na ‘Chapa Quente’, nas proximidades do Encontro das Águas.

O diretor-presidente da Arsepam, Ricardo Lasmar, destacou a importância da ação para garantir a melhor prestação do serviço público. “Nosso objetivo é  proporcionar mais  segurança e qualidade. Uma ação como essa é fundamental para que os direitos dos passageiros sejam respeitados”, afirmou Lasmar.

A iniciativa faz parte da campanha para proporcionar uma experiência segura e confortável aos passageiros que se deslocaram até à ilha da magia. Além de verificar os preços das passagens, os fiscais monitoraram o cumprimento das normas de segurança e a capacidade das embarcações, garantindo que todas as viagens ocorressem de acordo com os padrões estabelecidos.

Segundo dados divulgados, a Ouvidoria da Arsepam recebeu mais de 100 denúncias relacionadas aos serviços prestados pelos operadores de embarcações. Para dúvidas ou reclamações, os usuários do transporte hidroviário podem entrar em contato pelo WhatsApp 24 horas: (92) 2020-1117.

Marcelo Peres

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar